Flamengo x Paraná

Barbieri acredita que time teve boa atuação (Andre Melo Andrade/Eleven)

LANCE!
19/07/2018
01:03
Rio de Janeiro (RJ)

A estreia do atacante Uribe agradou ao técnico Maurício Barbieri. O treinador do Flamengo, que colocou o colombiano na vaga de Marlos Moreno, aos 16 minutos do segundo tempo, avaliou positivamente a estreia do jogador, que foi contrato durante a paralisação da Copa do Mundo.

- Senti o Uribe bastante dinâmico, buscando bastante o gol. Teve uma oportunidade. Isso que a gente espera dele, sempre na área, que crie dificuldade para o adversário. Avalio como positiva (a atuação), embora o resultado tenha sido negativo - disse.

Barbieri comentou também a atuação de Guerrero, que pôde atuar depois de um ofício enviado ao Flamengo pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) nesta quarta-feira:

- Sentiu um pouco a marcação. Acabou bastante marcado, em um jogo viril dos zagueiros do São Paulo. Não fez a melhor partida, acho que ele tem consciência disso, mas sempre é um jogador que nos ajuda muito. Tem bastante qualidade, consegue prender a bola na frente. Conseguiu gerar situações de girar a bola e ajeitar para quem vem de traz.

O comandante rubro-negro aproveitou e falou sobre as entradas do volante Rômulo e Marlos Morenos, escolhidos para substituir, respectivamente, Cuellar, suspenso, e Vinicius Júnior, que já foi para o Real Madrid (ESP)

- Qualquer equipe que perca jogadores com a qualidade deles é normal que sinta, que as alterações demorem a encaixar. Acho que fizemos um jogo em um bom nível. Rômulo fez um bom jogo, Marlos teve boas atuações em alguns momentos. Sabemos que pode render mais, mas é um processo natural - garantiu, explicando as entradas de Trauco e Matheus Savio:

- Sobre as substituições, colocamos duas referências e a bola precisava chegar. Trauco não era para jogar de volante, era para aproveitar os bons cruzamentos. Não estávamos encontrando o caminho por dentro.

Atuação contra o São Paulo

Acho que a gente teve um domínio grande do jogo. São paulo veio com a proposta de esperar mais, explorar contra-ataque. A gente vinha alertado sobre isso, mas, ainda assim, criamos um bom número de oportunidades. Teve a bola na trave, a do Marlos, a do Uribe... Número razoável de oportunidades. Enfrentamos time que sabe se defender bem, experiente, e, neste jogo, até catimbou um pouco. Procuramos mexer para encontrar soluções. Encontramos, mas faltou concluir melhor

Derrota abalou o time?

De maneira nenhuma abalou (o time). Da maneira que jogamos, fizemos um partida boa. É difícil falar em partida boa após derrota. Não avalio também como acidente de percurso, temos de analisar o que errou para acertar. Continuamos líderes. Final do jogo, torcida enalteceu os jogadores, aplaudiu.

São Paulo fez cera?

Acho que houve em excesso (cera). Árbitro até deu os acréscimos, mas ainda teve queda. Poderia ter dado mais. São Paulo veio para esperar e fez o gol. Flamengo tentou jogar, colocar bola no chão, mas não conseguiu.

Geuvânio fora

Foi questão de ordem física. Em um treino, acabou sentindo e ficou uns dois dias fora. Savio vinha treinando bem, até mais por dentro. Entrou bem, colocou bolas na área, mas não conseguimos fazer o gol.

Contra-ataques do São Paulo

Aconteceram mais contra-ataques no primeiro que segundo. Segundo, foi o lance do gol. Acabamos sofrendo mais nos contra-ataques dos escanteios ofensivos nossos. Lance do gol foi uma bola de escanteio que bateu, voltou, Renê tenta bola longa e não consegue. Não foi uma bola de velocidade.
Conseguimos reagir rápido. Não sofrer o contra-ataque e reagir no ataque