Bandeira de Mello - Presidente do Flamengo

'Tenho total interesse em que todos os e-mails trocados no clube sejam divulgados', diz ex-dirigente (Foto: Reprodução / Twitter)

LANCE!
09/09/2020
16:57
Rio de Janeiro (RJ)

O ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, se manifestou sobre divulgação de e-mails que indicam que pessoas do clube já sabiam dos problemas elétricos que culminaram na morte de dez jovens no Ninho do Urubu. Após os arquivos divulgados pelo portal UOL nesta quarta-feira mostrarem que uma vistoria feita em 11 de maio de 2018 indicou problemas elétricos no local e funcionários fizeram orçamento para solucionar a situação, o ex-dirigente se manifestou em nota.

Bandeira disse que "esse tipo de assunto não chega à presidência do clube e o e-mail em questão reforça isso". Segundo ele, os assuntos "são resolvidos internamente, dentro de suas pastas, nos escalões mais baixos e repassados ao financeiro em seguida para pagamento".


Além disto, o ex-presidente do Rubro-Negro pede rigor na investigação: 

"Ainda que eu não tenha tido conhecimento dos fatos, pelo que a matéria do UOL dá a entender, apesar do relatório inicial, o Flamengo contratou e pagou o reparo necessário. Entendemos então que o assunto deve ser apurado".  

Aos seus olhos, a troca de e-mails pode "permitir uma visão melhor sobre todos os fatos que cercam essa tragédia". O ex-presidente do Flamengo destacou: "me espanta que até hoje não tenha sido feito em nenhum momento". Ele frisou que tem "total interesse de que o assunto seja divulgado".

A CBI fez um orçamento de reparos da rede elétrica do Ninho do Urubu no valor de R$ 8.550,00, tendo emitido duas notas fiscais de R$ 4.275,00 com datas para os dias 25 de maio de 2018 e 1º de outubro de 2018. O trabalho necessário para evitar as tragédias nunca foi realizado

NOTA DE EDUARDO BANDEIRA DE MELLO

1- Como venho falando desde o início, esse tipo de assunto não chega à presidência do clube e o e-mail em questão reforça isso. Em geral são resolvidos internamente, dentro de suas pastas, nos escalões mais baixos e repassados ao financeiro em seguida para pagamento.


2- Ainda que eu não tenha tido conhecimento dos fatos, pelo que a matéria do UOL dá a entender, apesar do relatório inicial, o Flamengo contratou e pagou o reparo necessário. Entendemos então que o assunto deve ser apurado.



3- Como visto na reportagem, o Flamengo tem uma rede interna de e-mails. Eles podem ser rastreados e permitir uma visão melhor sobre todos os fatos que cercam essa tragédia. É algo que tenho falado desde o início e me espanta que até hoje não tenha sido feito em nenhum momento. Tenho total interesse em que todos os e-mails trocados no clube sejam divulgados.