Flamengo x Athletico PR

Flamengo terá jogos decisivos pela frente ainda no atual mês de julho (Diego Maranhão)

Victor Mendes
08/07/2019
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

O torcedor rubro-negro não tem muitas lembranças positivas para recordar da temporada de 2018. E não poderia ser diferente: dentro de campo, o Flamengo disputou quatro competições e não levantou a taça em nenhuma delas. Nem mesmo no Carioca, onde venceu a Taça Guanabara, mas, nas semifinais gerais, perdeu para o Botafogo, que viria a se tornar campeão. O fracasso no Estadual levou à primeira troca de treinador: saiu Paulo César Carpegiani e Mauricio Barbieri foi efetivado à equipe principal.

O intervalo entre o início do Brasileiro e os primeiros jogos após o retorno da Copa do Mundo foi o de melhor momento do time na campanha. O Flamengo chegou a liderar o Brasileirão, emplacou uma sequência de boas partidas, eliminou o Grêmio da Copa do Brasil e parecia firme e forte. Só parecia. A partir de agosto, definhou gradativamente no campeonato nacional e perdeu a liderança; nas Copas, caiu para Corinthians na doméstica e para o Cruzeiro na Libertadores. Barbieri foi demitido e Dorival Junior assumiu para evitar um desastre maior em âmbito caseiro.

Nos números, o roteiro de 2019 está escrito de uma forma parecida com a do ano anterior. Em 2018, a temporada parou para a Copa do Mundo com o time tendo 69,5% de aproveitamento, contrastando com os 55% da segunda parte. Atualmente, até a parada para a Copa América, o Rubro-Negro tem 69,6%. Semelhante, verdade seja dita, mas com uma diferença significativa: o Flamengo venceu o Carioca deste ano, mas está na 3ª colocação na Série A.

Apagar tudo o que havia escrito e começar uma nova história, ainda que baseada na antiga, depende só da equipe, agora comandada por Jorge Jesus. E as linhas começam a ser traçadas nesta semana, na Copa do Brasil. Na quarta-feira, às 21h30, o Fla já tem jogo decisivo de mata-mata contra o Athletico-PR, na Arena da Baixada. A viagem para Curitiba está marcada para depois da atividade desta terça-feira, na parte da manhã.

A estreia do português é só o início de uma sequência de peso só nas próximas semanas de julho: pelo Campeonato Brasileiro, os confrontos contra Goiás (dia 14, no Maracanã), Corinthians (21, na Arena Corinthians) e Botafogo (28, noo Maracanã) poderão decidir o futuro do time no torneio. Além disso, nos dias 24 e 31, enfrenta o Emelec pelas oitavas de final da Libertadores. Antes, dia 17, tem a volta da eliminatória contra o Furacão.