Perrella disse que é normal a cobrança de Thiago e afirmou que não vazou o áudio

Perrella disse que é normal a cobrança de Thiago e afirmou que não vazou o áudio-(Vinnicius Silva/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
29/11/2019
16:09
Belo Horizonte

Entre tantas polêmicas e notícias bombásticas no Cruzeiro, uma das mais comentadas foi o áudio vazado em que o meia Thiago Neves cobra do gestor de futebol do clube, Zezé Perrella, salários atrasados dos jogadores(ouça abaixo).

Perrella, durante a entrevista em que confirmou a saída de Abel Braga para a chegada do quarto treinador do ano, Adilson Batista, disse que o próprio jogador deve ter sido o responsável pelo vazamento e se isentou do ato. O gestor também afirmou que acha normal a solicitação do atleta, vide que o Cruzeiro deve parte da folha salarial de setembro e a totalidade de outubro ainda para o elenco.

-Aquela conversa houve e, se vazou, vazou por ele. Foi uma conversa absolutamente normal, de quem tinha para receber cobrando de alguém que devia. A estranheza é ter vazado. Ele deve ter mandado para algum amigo, mas é conversa que acontece não só com o Thiago, mas com outros jogadores. Todo mundo que trabalha tem direito de receber e tem direito de cobrar sim. Ele, inclusive, no áudio, diz. Eu não estava dando bicho para não cair, ele estava abrindo mão dessa tabela e pedindo para que se colocasse o pagamento em dia para dar tranquilidade ao grupo. Não vejo nada de anormal nisso. Vocês que conhecem o futebol sabem as conversas que temos até com a imprensa em off. É normal. Estão querendo fazer tempestade em negócio normal. O que o Thiago fez de errado? Quem não recebe obviamente gera intranquilidade-disse Perrella.

Perrella também confirmou que o débito existe e reforçou que não fez o vazamento para mídias sociais, nem para a imprensa.

-Fiquei devendo a eles, paguei só 50% da folha (de setembro). Ele pediu abrindo mão da premiação se a gente conseguir colocar os outros 50% em dia. Uma conversa normal, normalíssima. Agora, ele vacilou, deve ter mandado o vídeo a um amigo dele, não partiria de mim. Passaria um vídeo em que estou sendo cobrado? O que há de anormal nisso? Ninguém tem que chamar ninguém de mercenário por causa disso aí, não- explicou Zezé.

Mesmo querendo reduzir os custos salariais, Zezé Perrella não questiona os acordos feitos com os atletas e acha que eles têm o direito de reivindicar o que está no contrato de trabalho.

-Sei que há descontentamento do torcedor pelo áudio, mas por que o torcedor não chama o jogador de mercenário quando ele faz contrato de um milhão por mês? Se faço contrato a obrigação é cumpri-lo. Não me sinto constrangido de quem que eu devo me perguntar que dia eu vou pagar. Não estou defendendo o Thiago, não- completou Perrella.

Áudio em que mulher relata conversa com o dirigente

Perrella aproveitou para esclarecer sobre um outro áudio, que circula em grupos de Whatsapp, em que uma mulher diz ter conversado com o gestor do futebol do Cruzeiro, citando até jogadores do clube que seriam dispensados. .

-Voltando ainda ao tema de rebaixamento, dá nojo ver como o futebol mudou de uns tempos pra cá. As mídias sociais viraram coisa para assassinar reputações. Vazaram áudio meu de uma pessoa que diz que conversou comigo, que ia mandar seis jogadores embora. Não sei nem que é a idiota que disse que falou comigo. E virou verdade. Se jogador não mudar comportamento em relação a mídias sociais. Então, negócio muito chato-disse.