Mano Menezes

Mano afirmou que Arrascaeta deveria cumprir os seus deveres profissionais- Foto: Bruno Hadad/ Cruzeiro

Valinor Conteudo
04/01/2019
19:38
Belo Horizonte

O técnico Mano Menezes falou pela primeira vez em 2019, após a reapresentação do Cruzeiro para a temporada. Como era de se esperar, o treinador foi questionado sobre a situação complicada que se tornou a presença de Arrascaeta no elenco celeste este ano.

Mano foi polido, mas não deixou de dar o seu recado sobre a postura do jogador, considerando que houve uma falha do uruguaio e que espera diálogo para a solução do imbróglio.

- É uma situação que não se arrasta por muito tempo e em lugar nenhum. Sempre sou a favor do cumprimento do que foi estabelecido, independentemente de mais atrito ou menos atrito. Se você está ou não satisfeito, você tem que cumprir obrigações profissionais. A partir daí você tem até mais autoridade para reivindicar aquilo que acha mais justo. Acho que deveria ter se apresentado como todos os outros jogadores e, aí sim, discutido o assunto da maneira interna, como se discute esses assuntos-disse Mano.

O comandante da Raposa evitou polemizar a situação de Arrascaeta e disse que não houve tempo para bater um papo com o jogador, já que ele não se apresentou ao Cruzeiro na quinta-feira, nem nesta sexta-feira.

- Não entro em polêmica, porque não cabe a mim. Não conversei com Arrascaeta, porque não se apresentou. Deveria se apresentar, mas não se apresentou. As coisas vão se resolver, acredito no diálogo. E vai ser bom para todo mundo-explicou.

Mano não quis se adiantar sobre uma possível saída do meia, e não respondeu sobre quem poderia desempenhar suas funções em campo, ou se o clube teria de contratar alguém para sua vaga.

- É um pouco cedo para falar, e não gosto de falar em cima de possibilidades. Se acontecer, assim podemos falar sobre isso. Certamente temos peças no grupo para nem sequer mexer no modo de jogar. Em vários momentos, tivemos que jogar sem ele e resolvemos isso em momentos decisivos. Vamos ter calma. Não temos problemas, quando tivermos, se tivermos, vamos arrumar soluções.

No ano passado, Arrascaeta não participou, por exemplo, do jogo de ida das quartas de final da Libertadores contra o Boca e nem da volta da semifinal da Copa do Brasil contra o Palmeiras em função de lesões musculares. No duelo de ida da decisão da Copa do Brasil, contra o Corinthians, ele não entrou em campo em função de uma convocação para a seleção uruguaia- concluiu o treinador.