Sérgio Santos Rodrigues jogou água na "fervura" do Cruzeiro após pedido do patrocinador para demitir Enderson Moreira

O presidente da Raposa, Sérgio Santos Rodrigues, disse que para quitar o débito com o Al Wahda, pode até ceder jogadores do time para os árabes-(Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
24/09/2020
16:52
Belo Horizonte

O Cruzeiro tem uma notícia que vai aliviar o coração do seu torcedor, preocupado com um possível rebaixamento à Série C do Brasileiro, devido ao débito de 5,3 milhões com o Al Wahda, dos Emirados Árabes, pelo empréstimo do volante Denílson, em 2016, que resultou na perda de seis pontos na Série B e o pedido do clube asiático para rebaixar a Raposa.

A FIFA decidiu suspender o processo contra os mineiros, graças a um recurso impetrado pelo Cruzeiro na FIFA, que acabou acatando a solicitação.

O presidente Sérgio Santos Rodrigues disse que o clube mantém negociações com o Al Wahda, dos Emirados Árabes, para solucionar a dívida.

-Este é um problema latente, que existe, mas não é de curtíssimo prazo. A gente trabalha bastante com planejamento aqui dentro. Não vamos ser pegos de surpresa com nada. Isso aí já está dentro do nosso escopo, da forma de pagamento que a gente pretende fazer- disse, em sua live semanal nos canais oficiais do clube. Em seguida, falou das negociações que podem até gerar uma transação com jogadores da Raposa para o time árabe.

-Continuamos de forma paralela negociando com o Al Wahda. Chegaram até a manifestar interesse em atletas nossos. Então, tenho certeza que isso vai ser resolvido, vai ser equalizado. Eu prometi isso lá atrás e pode ter certeza: o Cruzeiro não perde pontos e não será rebaixado na nossa gestão de forma alguma por causa de dívida financeira. Pode ter certeza disso -completou.

O Cruzeiro emitiu uma nota sobre a suspensão do processo na FIFA.


Nota Oficial – Processo Al Wahda / Denilson no CAS

A FIFA decidiu suspender, diante de um recurso feito pelo Cruzeiro junto ao CAS, o processo envolvendo o Al Wahda e o atleta Denilson, que colocava como eventuais punições ao Clube a perda de mais 6 pontos e um consequente rebaixamento à Série C.

No entanto, paralelo ao processo, o Cruzeiro tem mantido diálogo aberto com o Al Wahda e aproveitará este prazo para tentar chegar a um acordo definitivo, que seria de suma importância para todos os envolvidos.

A diretoria não tem medido esforços para que mais esta ação na Fifa, herdada de gestões passadas, seja plenamente resolvida.