Felipão - Cruzeiro

Felipão foi contratado até o fim de 2022 para ajudar o Cruzeiro na dura missão de sair do Z4 da Série B e ainda buscar o acesso-(Reprodução)

Valinor Conteúdo
15/10/2020
21:00
Belo Horizonte

O Cruzeiro convenceu Luiz Felipe Scolari a voltar ao time mineiro, depois de dizer “não” pela primeira vez, no início desta semana. O retorno do treinador será quase 20 anos após sua primeira passagem, entre 2000 e 2001.

Scolari deixou a Raposa para assumir a Seleção Brasileira na Copa América daquele ano, quando o time brasileiro fez uma péssima campanha e ainda cambaleava nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002.
O novo ciclo de Felipão no cargo já tem data marcada para a estreia. Terça-feira , 20 de outubro, contra o Operário, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Os auxiliares Paulo Turra e Carlos Pracidelli trabalharão com Luiz Felipe Scolari no Cruzeiro. Pracidelli estará em Belo Horizonte já nesta sexta-feira. O treinador deve chegar somente no fim de semana para começar os trabalhos.

Negociação com Scolari

A direção do clube foi até o Rio Grande do Sul negociar com o treinador e conseguiu acertar sua contratação até o fim de 2022, Scolari será o técnico do centenário celeste.

Natural de Passo Fundo (RS), Felipão tem um currículo extremamente vitorioso, com 27 títulos conquistados ao longo da carreira. Entre eles destacam-se: Copa do Mundo (2020), Copa das Confederações (2013) Copa Libertadores (1995 e 1999), Recopa Sul-Americana (1996), Campeonato Brasileiro (1996 e 2018), Copa do Brasil (1991, 1994 e 2012), Liga Chinesa (2015, 2016 e 2017) e Liga Uzbeque (2009).

Antes de comandar a Seleção Brasileira na conquista do Pentacampeonato Mundial em 2002, com 100% de aproveitamento, Luiz Felipe Scolari esteve à frente da equipe celeste nos anos de 2000 e 2001, tendo sido campeão da Copa Sul Minas, em 2001.

Além de todos esses títulos, o treinador também levou a Seleção de Portugal à final inédita da Eurocopa, em 2004, quando ficou com o vice-campeonato. Recentemente, em 2018, dirigiu o Palmeiras que se sagrou Campeão Brasileiro. Nos 21 jogos sob seu comando, a agremiação paulista teve 84% de aproveitamento.