Fábio exaltou o  Cruzeiro comparando o histórico de títulos de ambos

Fábio tem dado declarações reveladoras nos últimos dias e lamentou as dificuldades do time-(Bruno Haddad/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
22/05/2020
20:16
Belo Horizonte

O goleiro do Cruzeiro, Fábio, tem dado declarações fortes nos últimos dias. O camisa 1 celeste comentou sobre a passagem de Rogério Ceni, citando que houve falta de habilidade do treinador na Raposa e que sim, houve uma “fritada” de alguns atletas com o ex-treinador.

Fábio seguiu sua pequena saga de revelações e definiu a gestão de Wagner Pires de Sá como "desgraça total", mas que ainda tem esperança na recuperação do clube e na boa vontade do presidente eleito, Sérgio Rodrigues, que assume no dia 1º de junho.

- É a nossa expectativa é que tudo melhore. Depois de um ano e meio de muita confusão na política, desde a eleição que elegeu o Wagner, dali para frente foram sempre muitos problemas relacionados à política nos bastidores. A gente espera que, agora com o Sérgio, uma nova etapa possa colocar novamente o Cruzeiro nos trilhos, como foi na grande maioria da história do Cruzeiro. Tem que ressaltar isso, não pode apagar a história por esse um ano e meio de desgraça total em todos os aspectos - disse o goleiro em entrevista ao SporTV.

O arqueiro contou que a notícia da perda de seis pontos na Série B antes mesmo de ser iniciada, deixou o elenco chateado e crê que não haverá nova punição, caso o time celeste não quite R$ 11 milhões na FIFA pelo débito com o Zorya, da Ucrânia, da compra de Willian Bigode, em 2015. A Raposa tem até o dia 29 deste mês para pagar a conta.

-Todos nós ficamos muito tristes pela notícia. Fomos averiguar mesmo se era verídico, porque hoje, infelizmente, noticiam muitas coisas que são inverdades. A gente teve uma reunião com os próprios gestores, que falaram que era verídico. Com certeza isso chateia todos nós, mas todos estávamos cientes dessa dificuldade que íamos encontrar em 2020. É atípico para a grande maioria, principalmente para os nossos torcedores, que vivenciaram o Cruzeiro ao longo dessas últimas décadas. Também vejo um lado político muito forte, a gente poderia ter evitado isso- disse o goleiro, demonstrando confiança que o clube sofrerá outra perda de pontos.

- Há a possibilidade de perder mais seis pontos, mas não acredito que vai perder. Vai ter gente para pagar essa conta, o dinheiro aparece. A gente que é do futebol profissional há mais de 20 anos conhece os bastidores. Poderia ter aparecido antes, mas infelizmente esse ambiente de política dificulta bastante. A gente não sabia quem seria o presidente, e isso gera um desconforto. O maior prejudicado com tudo isso é o Cruzeiro - concluiu.