Dodô

Dodô e Cruzeiro não se acertaram em audiência e agora o caso será decidido via sentença da juíza responsável-Bruno Haddad/Cruzeiro

Valinor Conteúdo
04/08/2020
17:42
Belo Horizonte

O Cruzeiro e o lateral-esquerdo Dodô participaram de uma audiência nesta manhã de terça-feira, 4 de agosto, na 39ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, para tentarem um acordo sobre sobre a validade ou não do contrato do jogador com a Raposa, que foi lavrado na gestão de Wagner Pires de Sá. Sem acordo entre as partes, a juíza do caso, Flávia Fonseca Parreira Storti, avisou que a sentença será proferida no prazo legal de até 30 dias.

O lateral pede em sua ação contra a Raposa que que o clube cumpra um acordo feito ainda na gestão do ex-presidente Wagner Pires de Sá, que prometeu um novo vínculo até dezembro de 2023, tendo pagamentos de R$ 8,8 milhões só em luvas, se Dodô fizesse três partidas ou o Cruzeiro fizesse 15 pontos no Campeonato Brasileiro de 2019.

O lateral estava emprestado pela Sampdoria, da Itália, no ano passado, vindo com uma cláusula de obrigatoriedade de compra pelo Cruzeiro no fim do ano, além do novo contrato. Todavia, após a saída de Wagner Pires e sua diretoria, o conselho gestor revisou o acordo com o lateral e entendeu que não havia obrigação do clube azul em cumprir as promessas da antiga diretoria.

Dodô disse à juíza que tem interesse em permanecer no clube e revelou que foi procurado pela Raposa, mas que não foi para buscar um acordo sobre o vínculo, sendo inclusive impedido de treinar na Toca da Raposa, mesmo ainda sob contrato.

“Que as condições para renovação do contrato com o reclamado não foram negociadas pelo depoente, mas sim entre os próprios clubes; que concordou com as condições, após ler o contrato; que o depoente tem interesse em continuar no reclamado (a); que seu interesse é de que o contrato seja cumprido; que há 07 meses atrás foi procurado, sendo-lhe dito que seu contrato não seria respeitado, porque não é válido; que depois disso não foi procurado para renegociar o contrato, mas apenas lhe disseram que o clube queria que o depoente continuasse no time; que disseram que o depoente era um ativo do clube, que precisavam dele, mas não renegociaram o contrato e nem registraram o contrato, nem permitiram que o depoente mantivesse os treinamentos; que não foi informado de nenhuma renegociação com seu empresário; que somente há 01 mês atrás recebeu ligação do clube, dizendo que o clube contava com ele”,dizia a descrição da ação movida por Dodô.

Ainda há outra questão não resolvida entre as partes que inviabilizou um acordo. Segundo o empresário do lateral, Júnior Pedroso, o Cruzeiro tem uma pendência financeira com Dodô, além do jogador ter outras propostas de equipes brasileiras.

-O Cruzeiro desrespeitou um acordo com o atleta e com a Sampdoria. E clube e jogador notificaram o Cruzeiro para reconhecer o vínculo. O processo está correndo. Imaginamos que nas próximas semanas teremos novidades- disse Pedroso, em entrevista ao Canal do Nicola em maio.

Após boa temporada no Santos em 2018, Dodô não repetiu as boas atuações e ficou a maior parte do ano no banco de reservas. Foram 28 jogos e um gol marcado com a camisa celeste.