Fabiano Oliveira emitiu uma nota contestando a matéria veiculada na TV Globo O Cruzeiro também se posicionou sobre o caso

As denúncias de desvio de dinheiro do clube vieram à tona no mês de outubro e os valores podem chegar a R$ 700 mil-(Bruno Haddad/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
08/11/2019
17:34
Belo Horizonte

A diretoria do Cruzeiro decidiu manter no cargo o diretor jurídico do clube, Fabiano Oliveira Costa, que é investigado pela Polícia Federal por supostos desvios de dinheiro do clube. A Raposa definiu que Fabiano ficará em suas funções até que sejam apuradas as denúncias se houve não participação do dirigente nas irregularidades apontadas pela investigação.

Para o gestor do futebol e presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, Zezé Perrella, a decisão foi tomada em conjunto com o conselho gestor do clube e que Fabiano tem o direito de se defender.

- O que ficou decidido é que iremos esperar as apurações da Polícia. Por enquanto, não ficou nada comprovado contra ele. Ele tem os documentos lá, que ele emprestou o dinheiro para o Ildeu, e o Ildeu devolvendo para ele. Não tem comprovação de que ele fez algum ilícito. Ele tem 26 anos de clube. É uma questão administrativa do presidente Wagner, mas conversamos sobre isso e definimos isso. Espero que as investigações apontem alguma coisa, porque, por enquanto, ele ainda não foi denunciado. Acho prudente que ele tenha oportunidade de se defender- disse Perrella ao Globoesporte.com. 

Desvio de dinheiro da Raposa

A suspeita de desvio de recursos do Cruzeiro surgiu após outra reportagem da TV Globo, quando relatórios feitos pela Polícia Federal vieram à tona apontando que Fabiano Oliveira Costa e o advogado e conselheiro da Raposa Ildeu da Cunha Pereira Sobrinho, teriam emitidos notas frias para prestar serviços ao Cruzeiro e parte do que era recebido ia para as contas de Fabiano Oliveira. O valor desviado está perto de R$ 700 mil.

Outra parte da investigação indica que Ildeu da Cunha tinha ligações com o desembargador Geraldo Domingos Coelho, que votou a favor de Itair Machado para que o ex-vice de futebol voltasse ao cargo no Cruzeiro.


Quando as denúncias foram divulgadas, Fabiano Oliveira divulgou nota se defendendo e que nunca contratou os serviços de Ildeu da Cunha Pereira.

Fabiano Oliveira está no Cruzeiro desde os anos 1990, quando iniciou sua trajetória no clube na gestão de Zezé Perrella. Ele começou como estagiário e foi galgando cargos até se tornar diretor jurídico na gestão de Wagner Pires de Sá.