Mozart defendeu seu time e lamenta que a Raposa não tenha conseguido pelo menos um empate

O treinador não ficou nem dois meses no cargo e a Raposa seguirá em busca de um novo comandante-(Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
30/07/2021
23:58
Belo Horizonte

Após o empate do Cruzeiro com o Londrina, por 2 a 2, nesta sexta-feira, 30 de julho, no Mineirão, o técnico Mozart Santos pediu demissão do cargo de treinador da Raposa.

A pressão pela sua saída só aumentava nos últimos dias e ficou insustentável após o time completar nove jogos seguidos sem vitória na Série B. São seis empates e três derrotas.

- Venho aqui, infelizmente depois de mais um resultado inesperado. Infelizmente, as coisas não estão andando conforme a grandeza desse clube, nós conversamos com o Mozart, e ele optou pelo pedido de demissão para que a gente possa andar por outro caminho, na busca de um outro profissional para que nós tenhamos melhores resultados.

Mozart foi anunciado no dia 10 de junho para o lugar de Felipe Conceição. Ele conseguiu apenas duas vitórias, diante de Ponte Preta e Vasco, com igualdades diante de , Brasil-RS, Guarani, Botafogo, Goiás, Coritiba e Vila Nova, além de mais quatro derrotas, para Avaí, Remo, CSA e Operário. O seu aproveitamento no comando da equipe azul foi de apenas 33,3%.

O Cruzeiro terá de buscar o seu sexto técnico em pouco mais de um ano da gestão de Sérgio Santos Rodrigues. Além de Mozart e Felipe Conceição, a Raposa teve Enderson Moreira, Ney Franco e Luiz Felipe Scolari.

Com o pedido de demissão de Mozart, o time mineiro poderá contratar outro treinador, não burlando a regra da CBF de que os clubes podem fazer apenas duas trocas de treinadores por temporada. Felipe Conceição, que começou a competição, diz que foi demitido e o caso está sendo avaliado na CNRD.