Cruzeiro x Santos

Ceni deu uma declaração forte de que poderia deixar o Cruzeiro, mas a diretoria garante que ele fica-( Dudu Macedo/Fotoarena/Lancepress!)

Valinor Conteúdo
09/09/2019
16:24
Belo Horizonte

O Cruzeiro de 2019 foi da esperança de mais conquistas a decepção em poucos meses. Os resultados dentro de campo e a crise institucional que assola o clube ganham contornos de drama para o torcedor celeste, que tem um temor real: uma possível queda para a Segunda Divisão.

A goleada aplicada pelo Grêmio na Raposa, por 4 a 1, abriu mais ainda as fendas que a Raposa tem expostas. O que eram assuntos internos ganham as manchetes de jornais e sites. As mais recentes foram as declarações de Thiago Neves sobre improvisações de Rogério Ceni contra o Internacional, pela Copa do Brasil. Depois foi a vez do treinador pedir mudança de postura, dizendo que, caso isso não acontecesse, não faria sentido permanecer no clube.

Outro assunto que veio à tona se refere aos atrasos de salários, referentes aos meses de julho e agosto. O diretor de futebol, Marcelo Djian, confirmou os débitos e falou sobre a situação. 

- Tem uma parte de julho que está atrasada e agosto, que venceu na última sexta-feira. Nós estamos trabalhando para regularizar isso o mais rápido possível - disse.

Djian repercutiu a fala de Rogério Ceni. Segundo o diretor de futebol, não há chances de Ceni deixar a Toca da Raposa no momento.

- Não existe risco nenhum. É normal a decepção dele, já que os três primeiros jogos dele nós tivemos bons resultados, conseguimos sete pontos, já na última quarta-feira fomos desclassificados da Copa do Brasil, onde a gente poderia ir para a final - disse o dirigente.