Guilherme Amaro e Marcio Porto 
08/05/2018
07:00
São Paulo (SP)

Contratado em janeiro, pouco antes de completar 20 anos, o meia Mateus Vital não demorou para se encaixar no Corinthians. Ele é o reserva que mais atuou nesta temporada, com 19 jogos, e tem a chance de firmar-se como titular na vaga de Clayson, lesionado.

A rápida adaptação surpreendeu o próprio Mateus Vital, que foi titular até no clássico contra o Palmeiras, na final do Paulistão. No Dérbi que decidiu o campeonato, aliás, o meia foi o autor da boa jogada que terminou no gol de Rodriguinho.

- Sinceramente não imaginava que minha adaptação seria tão rápida e que em poucos meses pudesse jogar uma final de Paulistão como titular. Mas eu acreditava no meu potencial, sabia que poderia ajudar o elenco, e graças a Deus minha adaptação foi rápida e estou podendo ajudar - afirmou o jogador, em entrevista ao LANCE!.

- Estou muito feliz. Cheguei com o pé direito, já ganhando um título. Sabia que vinha para um clube que sempre briga por título, assim como foi no ano passado, quando conquistou o Paulista e o Brasileiro. Esse ano já ganhamos um, e temos elenco para brigar na Libertadores, no Brasileiro e na Copa do Brasil - prosseguiu o meia, que ainda busca seu primeiro gol pelo clube.

Em menos de quatro meses, Mateus Vital aprendeu a amar o Corinthians e sua torcida. Aos 20 anos, o jovem evitou fazer planos para o futuro, mas projetou: quer virar ídolo no Timão.

- Meu plano é me firmar cada vez mais aqui, ganhar títulos e virar ídolo dessa torcida tão apaixonada que é a Fiel. Desde que eu cheguei, aprendi a amar e a gostar desse clube e dessa torcida que me recebeu com um carinho tremendo. Então quero virar ídolo aqui e seja o que Deus quiser pela frente - disse.

Nesta entrevista ao LANCE!, Mateus Vital ainda comentou sobre a chance de ser titular na vaga do Clayson, elogiou o técnico Fábio Carille e contou como foi a recepção a Bruno Xavier e Thiaguinho, jovens recém-contratados por empréstimo do Nacional. Confira:

Quais são seus próximos passos no Corinthians?
Crescimento vem a cada dia e a cada jogo. Com a confiança da comissão tenho certeza de que vou crescer cada vez mais. Não só eu, como todos os meninos... O Pedrinho, o Mantuan, que tem crescido a cada treino. O Carille sabe como trabalhar a gente.

Como foi a recepção à dupla Bruno Xavier e Thiaguinho? Os jovens estão bastante unidos no elenco...
Está sendo bem legal, normal essa convivência dos jovens, ter uma certe intimidade pela idade. O jovem tem mais conversa de jovem, os mais velhos têm as conversas deles. Recepcionamos muito bem, assim como o grupo me recepcionou. Mostrei como foi minha chegada ao Corinthians, como eu me adaptei, porque todos querem que eles se adaptem o mais rápido possível. Eles são nossos parceiros no futmesa também, brincam com a gente, está sendo bem legal esses primeiros jogos.

E são bons no futmesa?
Eles ainda estão começando, estão aprendendo um pouquinho (risos). Tem a rivalidade da dupla que eu formo com o Pedrinho contra o Balbuena e o Romero, está bem acirrada. De vez em quando a gente perde, de vez em quando a gente ganha. Não estamos contando ainda, mas já conversamos para fazer um desafio. Está lançado já.

Acha que com a lesão do Clayson você pode deixar de ser o "12º jogador" e se firmar como titular?
Infelizmente tivemos a lesão do Clayson, que é um cara muito importante para o grupo. Ele e os outros lesionados vão fazer falta, mas temos peças para suprir a necessidade. Se o Carille achar que é meu momento de jogar naquela função, vou procurar ajudar o time da melhor maneira possível.