Carille - Corinthians

Carille mudou de ideia em menos de um ano (Foto: Rodrigo Gazzanel/RM Sports/Lancepress!)

Guilherme Amaro
19/05/2018
06:00
São Paulo (SP)

- Falo isso de coração e por gratidão: eu só saio do Corinthians no dia em que me mandarem embora. Pode vir o caminhão de dinheiro. Eu não saio! É um sonho estar trabalhando em uma equipe desse tamanho no Brasil, e eu vou desfrutar desse sonho até o fim.

Os planos do técnico Fábio Carille, expostos na resposta acima dada em entrevista em julho de 2017 para a rádio Jovem Pan, mudaram completamente após menos de um ano. O treinador tem proposta do Al-Hilal, da Arábia Saudita, e deve deixar o Corinthians.

O próprio Carille admitiu que pode sair. Questionado sobre a mudança de discurso em menos de um ano, o treinador tentou demonstrar bom humor para falar sobre a proposta.

- Um caminhão, não, mas podem vir dois caminhões (de dinheiro). Aí a conversa é diferente. Vamos esperar, estou muito tranquilo aqui. Com um, eu não vou. Com dois, posso pensar - disse Carille, que já avisou aos seus pais que deve se transferir para o Al-Hilal.

Além dos "caminhões de dinheiro", com uma proposta de cerca de R$ 1 milhão por mês (mais que o triplo do que atualmente ganha no Corinthians), Carille tem outros motivos para aceitar a proposta do clube árabe. Veja abaixo outros fatores que também fizeram o treinador mudar de ideia.

Relação com o presidente
Desde a mudança da diretoria, em fevereiro, Carille não se sente completamente à vontade na relação com o presidente Andrés Sanchez. O treinador acredita que não goza de muito prestígio e não sente tanta confiança no dirigente - publicamente, os dois dizem que o relacionamento é bom. Ou seja, em sua visão, Carille acredita que não seria bancado por Andrés após uma possível sequência de resultados ruins.

Poder levar sua comissão
Carille disse ter recusado uma proposta muito boa financeiramente porque só poderia levar um membro de sua comissão técnica. Na oferta do Al-Hilal, porém, o treinador poderá levar consigo ao menos o auxiliar Leandro da Silva, o Cuca, e o preparador físico Walmir Cruz. Outros profissionais poderão ser discutidos "no pacote", caso Carille realmente aceite a oferta.

- Tive uma proposta que não dei andamento, porque só podia levar um profissional. Se falar de valores, vão dizer que sou louco - afirmou Carille.

Além de Cuca, Carille conta com dois auxiliares que fazem parte da comissão técnica fixa do Corinthians: Osmar Loss e Fabinho. Loss, inclusive, assumirá o comando da equipe se o atual treinador se transferir para o Al-Hilal.