LANCE!
15/08/2020
23:08
São Paulo (SP)

O Corinthians acabou saindo da Arena do Grêmio com um ponto na bagagem após empate em 0 a 0, neste sábado, pela terceira rodada do Brasileirão-2020, mas o técnico Tiago Nunes acredita que o resultado poderia ser melhor para o time caso alguns fatores tivessem contribuído para isso, entre eles a atuação da arbitragem e o desempenho de seus jogadores no terço ofensivo do campo.

Em entrevista para a TV oficial do clube, após o duelo, o treinador entende que faltou critério ao árbitro Bruno Arleu de Araújo na marcação do pênalti de Michel Macedo em Diego Souza. Para ele, não foi adotado o mesmo princípio em lance de Kannemann em Jô, ainda no primeiro tempo da partida.

- Na minha avaliação, a arbitragem se equivocou, se equivocou duas vezes, porque se ele adotou critério para marcação do pênalti do Michel, onde segundo ele o Michel tocou no atleta do Grêmio na disputa da bola, não foi de maneira intencional. O mesmo critério deveria ter sido adotado no lance do Kannemann com o Jô, fica uma disputa de bola, não teve intenção, mas o Kannemann também toca o Jô e desequilibra ele na hora que iria finalizar a jogada, se foi pênalti para um lado, deveria ser pênalti para o outro - disse o comandante alvinegro, que acabou sendo expulsou:

- Depois ele já perturbado dentro de campo acabou ouvindo algum fantasma xingar ele. O pessoal xingou do banco e acabou sobrando pra mim. Então, instável, acabou se complicando em um jogo em que duas equipes tentaram jogar futebol - completou.

Mas Tiago Nunes não se restringiu a falar da arbitragem. Para o treinador corintiano outros fatores acabaram contribuindo para não sair do empate em 0 a 0 na Arena do Grêmio. Além do desgaste físico pela maratona de jogos, o desempenho ofensivo de seu time não agradou e ele salientou a necessidade de tentar encaixar um atacante de velocidade no esquema.

- Faltou o melhor aproveitamento na parte ofensiva na última parte do campo, os laterais chegarem um pouco mais, daqui a pouco encaixar um atacante nessa equipe, a gente precisa encaixar um atacante de velocidade, um jogador que dê mais profundidade para se aproximar mais do Jô também. Então são questões que têm que evoluir como equipe, mas que fazem parte natural do processo de construção de uma equipe que tem essa característica de jogo.

- A gente hoje fez o oitavo jogo em 23 dias, então é algo surreal você jogar oito jogos em 23 dias, fisicamente a equipe está em um limite muito grande, tem sofrido no segundo tempo, mesmo com as oportunidade de troca, a gente tem sofrido pela repetição do time, pelo desgaste físico dos jogadores, e a gente só vai conseguir isso se a gente tiver a capacidade de rodar mais vezes a equipe com a mesma qualidade e também ter uma semana cheia para poder recuperar os jogadores - concluiu o técnico.

Ainda não será dessa vez que Tiago Nunes e Corinthians terão uma semana cheia para recuperar os jogadores, já que na próxima quarta-feira, às 21h30, eles recebem o Coritiba, na Arena, pela quarta rodada do Brasileirão-2020.

Tiago Nunes - Coletiva Corinthians
Tiago Nunes analisou o empate (Foto: Reprodução/Corinthians TV)