Marcio Porto
26/11/2017
21:34
São Paulo (SP)

A diretoria do Corinthians adotou uma postura firme em relação à saída do zagueiro Pablo. Neste domingo, após o jogo da entrega da taça do Campeonato Brasileiro, empate em 2 a 2 contra o Atlético-MG, o presidente Roberto de Andrade bateu duro na postura do jogador. E deu de ombros para o fato de o jogador ter ficado de fora da festa por decisão da diretoria. Ele estava emprestado pelo Bourdeaux (FRA) até o fim do ano e não veste mais a camisa do clube.

- Foi uma decisão do Corinthians, no momento em que ele decidiu não aceitar a proposta do Corinthians, ele não é mais jogador do clube. Não tem problema nenhum, ele participou da campanha até o dia em que ele não quis mais ficar, foi uma decisão dele também, não só do clube - afirmou Andrade na Arena.

O presidente do Corinthians respondeu ao zagueiro no que diz respeito à importância na conquista. Chateado, Pablo disse que "esqueceram o que ele fez", ao decidirem por afastá-lo da festa do título. As partes negociavam a permanência e, na sexta-feira, não chegaram a acordo com relação à parte financeira. A partir daí, o Timão decidiu afastá-lo.

- O que ele fez? Tudo que ele fez, recebeu para fazer. Não teve favor de ninguém. Eu também fiquei chateado por ele não ter aceitado a proposta do Corinthians, que abriu a porta para ele quando ele estava esquecido na França. Veio para cá, fez um bom campeonato, e na hora de renovar, esperou o título para negociar, ele com o empresário, e dificultou as coisas, por isso ele não está conosco. Deveria estar - disparou o dirigente. 

Roberto de Andrade também comentou sobre outra saída, a do lateral-esquerdo Guilherme Arana para o Sevilla (ESP). O dirigente desta vez admitiu a iminência da negociação, mas disse que ainda resta algumas pendências antes de fechar. Entre elas, ele deseja manter uma porcentagem para lucrar em possível venda do jogador no futuro. O Corinthians tem 40% dos direitos econômicos do jogador. 

- Estamos aguardando agora essa semana para tratar de parte final. Vamos receber por mais de 40% e ainda vamos carregar um percentual para lá. Ainda falta acertar, mas estamos querendo manter 10%. Ainda falta valores, forma de pagamento, mas não abrimos mão de um percentual (para o futuro) - afirmou Andrade. 

Já o Guilherme Arana disse que até assinou o contrato de quatro anos, não quis revelar o clube, mas trata-se do Sevilla. Disse que falta apenas o presidente assinar para que ele seja oficializado jogador do clube espanhol.

Sobre o goleiro Cássio, que o técnico Fábio Carille disse que não sabe se ele continua em 2018, Roberto de Andrade foi enfático ao negar possibilidade de saída.

- Cássio tem contrato com a gente e vamos renovar por mais três anos. Não tem desmanche, até porque estamos no fim da temporada, não tem oferta por ninguém, espero que este ano seja mais tranquilo em relação a isso. Não tem nada para ninguém - declarou.