Arena Corinthians

Arena Corinthians será o palco do Majestoso, agendado para o dia 26 de maio (domingo) (Divulgação)

Yago Rudá
18/05/2019
06:25
São Paulo (SP)

Na próxima segunda-feira, a Polícia Militar do Estado de São Paulo (PM-SP) enviará um documento ao Ministério Público (MP) desaconselhando a realização do clássico da 7ª rodada do Campeonato Brasileiro entre Corinthians e São Paulo, em Itaquera, no dia 26 de maio (domingo), às 19h. O motivo é a partida entre Santos e Internacional, na Vila Belmiro, às 16h, na mesma data.

A PM-SP entende que há o risco de confronto entre corintianos e santistas na Zona Leste da capital paulista e, por isso, é contrária à realização do clássico em Itaquera no domingo. Isto porque, a sede da Torcida Jovem, principal organizada do Peixe, fica na mesma região que a Arena Corinthians, onde será realizado o Majestoso.

Além disso, de acordo com a Polícia, a realização dos dois jogos no mesmo dia e com uma diferença de três horas entre eles, mesmo em municípios diferentes, pode acarretar em confrontos nas estações do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) na Grande São Paulo.

Originalmente, o clássico entre Corinthians e São Paulo seria disputado no dia 25 (sábado). Contudo, pelo sorteio da Conmebol para a segunda fase da  Sul-Americana, o Alvinegro jogará no dia 23 (quinta) contra o Deportivo Lara. Sem tempo hábil para descansar seus atletas, o clube do Parque São Jorge pediu e a CBF acatou a mudança da data do Majestoso para o dia 26 (domingo).

Embora o anúncio da mudança tenha sido feito na última terça pelo Corinthians e também pela CBF, a PM-SP ainda não foi oficialmente comunicada. Já ciente do problema, a Polícia enviará um documento ao MP para que intervenha e impeça a realização do clássico Majestoso na cidade de São Paulo apenas três horas depois do Santos jogar na Vila Belmiro.

Entenda mais

Principal competição do país, o Campeonato Brasileiro é organizado pela CBF. Apesar disto, a responsabilidade de alertar as forças de segurança sobre as partidas do torneio cabe às federações locais. A Federação Paulista de Futebol (FPF), no caso, ainda não notificou a PM-SP sobre a mudança da data do Majestoso. Procurada pela reportagem, a FPF informou que fará o comunicado no início da próxima semana e que está dentro do prazo previsto.

Embora responsável pelo trabalho de segurança nos jogos no estado de São Paulo, a Polícia não tem poder direto de veto na escolha das datas das partidas. No entanto, a PM pode representar sua insatisfação e pedir a alteração no calendário. A decisão é da Justiça.

Em meio a este contexto, o Corinthians já está vendendo os ingressos para a partida com o São Paulo aos seus sócios-torcedores. Além disto, o Premiere já anunciou a transmissão do clássico em sua programação, o que dificultaria uma nova mudança na data por conta de acordos comerciais. 

No detalhe, os valores dos ingressos para o clássico que estão sendo vendidos aos sócio-torcedores do Corinthians
No detalhe, os valores dos ingressos para o clássico que estão sendo vendidos aos sócio-torcedores do Corinthians (Reprodução)

Calendário apertado

Nos meses de maio e junho, o Corinthians vive um problema com seu calendário de jogos. Na possibilidade de uma mudança de data do jogo com o São Paulo, o Timão não conseguiria realizar esta partida antes do início da Copa América, no dia 14 de julho. 

O Timão joga na quinta (23) contra o Deportivo Lara, pela Copa Sul-Americana, enquanto o Tricolor entra em campo um dia antes (22) para medir forças com o Bahia pela Copa do Brasil. De acordo com o artigo 25 do regulamento geral de competições da CBF, as equipes precisam de um intervalo mínimo de 66 horas entre uma partida e outra. Sendo assim, por esta regra, Corinthians e São Paulo só poderão se enfrentar no domingo (26). 

O Majestoso não pode ser jogado no sábado (25) porque o Corinthians encara o time venezuelano na quinta (23). Uma outra possibilidade seria disputar o clássico na segunda (27). Contudo, na quarta seguinte (29), o Tricolor volta a enfrentar o Bahia pela Copa do Brasil, impossibilitando a realização da partida nesta data. 

Caso não haja um consenso entre CBF, FPF, Polícia Militar, Ministério Público e dos demais clubes envolvidos, a reedição da final do Campeonato Paulista deste ano terá de acontecer após o fim da Copa América (7 de julho).