Paulo Garcia, conselheiro do Corinthians

Paulo Garcia conseguiu liminar para participar de eleição corintiana (Foto: Divulgação)

Guilherme Amaro
30/01/2018
16:33
São Paulo (SP)

Um dia após ter sua candidatura à presidência do Corinthians impugnada pelo Conselho Deliberativo, Paulo Garcia conseguiu uma liminar e poderá participar da eleição que será realizada no sábado, dia 3 de fevereiro. Depois de ser impugnado, ele recorreu à Justiça, que concedeu a liminar nesta terça-feira.

- A justiça foi feita e estou muito feliz. Continuo firme com a minha campanha ao lado do Flávio Adauto e Emerson Piovezan (vices) para fazermos o melhor pelo Corinthians - comemorou Paulo Garcia, por meio do Facebook da sua campanha (veja a nota abaixo).

Paulo Garcia havia sido impugnado em razão de pagamentos de anistias para regularizar sócios. Na ocasião, ele admitiu ter feito pagamentos. A Comissão Eleitoral entendeu haver compra de votos e recomendou a impugnação ao presidente do Conselho Deliberativo do clube, Guilherme Strenger, que confirmou a decisão.

Por conta da polêmica, a Comissão Eleitoral já havia vetado sócio regularizado com anistia de votar na eleição. A anistia foi vista pelo oposição como manobra ilegal, já que o estatuto do clube proíbe qualquer anistia financeira a partir de 12 meses antes da eleição.

Com a volta de Paulo Garcia, a eleição corintiana novamente tem cinco candidatos. Além dele, participarão do pleito Andrés Sanchez, Antonio Roque Citadini, Felipe Ezabella e Romeu Tuma Júnior.

Citadini chegou a ter a candidatura impugnada por ser conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Porém, ele também conseguiu uma liminar e pode concorrer na eleição.