Roberto de Andrade

(Foto: Daniel Augusto Jr)

LANCE!
26/09/2017
21:03
São Paulo (SP)

O Tribunal de Justiça de São Paulo negou o pedido de liminar feito por Romeu Tuma Júnior, um dos candidatos à presidência do Corinthians, para afastar temporariamente Roberto de Andrade do cargo. A alegação é que houve irregularidades na assembleia que aprovou as contas de 2017 e o orçamento de 2018.

O posicionamento da Justiça negando a liminar, publicado na segunda-feira, citou que "em que pesem os argumentos trazidos pelo autor", haveria "perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo" se qualquer decisão fosse tomada sem um posicionamento do Corinthians.

Por isso, o clube recebeu 15 dias para enviar a defesa. O jurídico do clube, inclusive, diz que nem sequer foi notificado.

- Não tomamos ciência do processo, não fomos intimados, vamos tomar ciência por inteiro amanhã (quarta-feira). Assim que tomarmos ciência, vamos exercer nossa defesa, mas temos a absoluta convicção da legalidade e da legitimidade da reunião do conselho deliberativo. O Corinthians confia na Justiça - disse Luiz Alberto Bussab, diretor jurídico do clube.

Bussab ainda ressalta que não há pressa para enviar a defesa do clube no processo.

- Se tivessem aprovado a liminar, teríamos que ter mais pressa. Até temos 15 dias a partir da citação, mas vamos enfrentar isso antes, porque temos absoluta convicção na legalidade - comentou.