presidente do corinthians mario gobbi (foto:alan morici)

Mário Gobbi voltou a fazer reflexões sobre a situação financeira do Corinthians (Foto: Alan Morici)

LANCE!
21/05/2020
08:04
São Paulo (SP)

Na noite da última quarta-feira, o ex-presidente Mário Gobbi usou suas redes sociais para fazer uma reflexão sobre a crise financeira do Corinthians. Membro de uma corrente de oposição e crítico da gestão de Andrés Sanchez, ele deve ser o principal nome para disputar a presidência contra o candidato da situação em pleito marcado para o fim de novembro deste ano. 

Gobbi ainda não sacramentou sua candidatura, mas prometeu pensar nos pedidos de seus pares para que volte ao comando do Timão, como ele mesmo publico em post no Facebook na última semana. Vale lembrar que o dirigente cumpriu mandato entre 2012 e 2015, e depois se afastou do dia a dia do clube. Recentemente tem ganhado força o lançamento de seu nome como oposição ao grupo Renovação e Transparência, do qual já fez parte.

Assumindo um papel de opositor neste ano eleitoral, principalmente em suas redes sociais, Gobbi compartilhou na última quarta-feira alguns números sobre o demonstrativo financeiro do clube referente ao exercício de 2019. Para isso se baseou em um relatório do conselheiro José Carlos Passaretti, consultor financeiro, ao qual o ex-presidente chama de "nosso amigo".

- Reflexão sobre as contas. Muitos me falam sobre as finanças do clube e do momento delicado. O nosso amigo José Carlos Passaretti fez um estudo e deixo aqui para debate. O que faremos e como se resolve? Todos entendem que o momento é para ter foco e encarar o problema de frente? - diz o post.

O vídeo tem início com a seguinte frase: "Por que o Corinthians pode entrar em colapso financeiro". Depois disso o material segue com uma série de comparações entre números de 2018 e de 2019, mostrando o quanto foi relevante o aumento em cada um dos quesito apontados como: endividamento bancário, despesas com juros e déficit anual. Confira o vídeo a seguir.

Recentemente, em uma live, o dirigente disse temer pela volta de uma nova "Era Dualib" no clube, que para ele está deixando de ter suas principais raízes democráticas, populares e de liberdade. Isso tudo o fez pensar em voltar para a vida política corintiana, a fim de evitar que um certo segmento tome conta. Em seu mandato o clube teve algumas de suas maiores conquistas, como a Copa Libertadores e o Mundial de Clubes, ambos em 2012.