Vítor Pereira - São Paulo 2 x 1 Corinthians - Paulistão 2022 - Semifinal

Vítor Pereira tem um mês e sete dias no comando do Corinthians (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)

Fábio Lázaro
11/04/2022
06:00
São Paulo (SP)

Não foram as derrotas, a queda de rendimento físico, nem os protestos e até ações criminosas contra alguns dos seus jogadores que fizeram Vítor Pereira pensar em desistir do projeto no Corinthians.

Convencido e empolgado com o seu trabalho no Timão, além de já ter criado uma grande identificação com o clube e uma relação de carinho com as pessoas envolvidas no dia a dia, Vítor Pereira não cogitou um momento sequer repensar a sua permanência na equipe. mesmo vivendo dias turbulentos.

> TABELA - Confira e simule os jogos do Corinthians no Brasileirão
> GUIA BRASILEIRÃO - Tudo o que você precisa sabe sobre o Timão no BR-22
> GALERIA - Veja todos os técnicos estrangeiros que comandaram o Timão


Foram três jogos sem vitórias, entre eles tendo uma eliminação para o São Paulo, pela semifinal do Campeonato Paulista, e uma derrota na Bolívia para o Always Ready, na Libertadores. Essa sequência negativa fez com que torcedores uniformizados fossem manifestar em tom de cobrança na porta do CT Joaquim Grava, com alguns membros até autorizados para conversarem com alguns jogadores, membros da comissão técnica e diretoria.

No mesmo dia, em ações isoladas, sem relação com as uniformizadas, foram registradas ocorrências de ameaças a alguns atletas e seus familiares, além do presidente Duílio Monteiro Alves.

Vítor Pereira em todos os momentos foi poupado, tanto das críticas dos torcedores, quanto dos atos criminosos. Mesmo assim, viveu dias tensos precisando blindar o elenco das questões externas.

VÍTOR INTUITIVO

Logo na sua apresentação no Timão, há pouco mais de um mês, VP se classificou como alguém ‘intuitivo’, e que foi justamente isso que o trouxe para o clube alvinegro, aceitando uma investida do Corinthians que havia sido recusada dias antes.

Mas foi uma experiência traumática no Oriente Médico que fez com que o treinador se policiasse na hora de firmar o contrato.

A ideia é que a ‘Era Vítor Pereira’ no Corinthians durasse o tempo em que resta para a atual gestão, se encerrando em dezembro do ano que vem. No entanto, foi pedido de Vítor que o acordo durasse até a fim da temporada, e ali o profissional avaliaria a sua permanência, ou não, no Alvinegro do Parque São Jorge.

A atitude reflete um episódio de Vítor Pereira nos Emirados Arábes em 2014, quando ele optou por pagar uma multa ao Al-Alhi para sair ao fim da temporada e não permanecer no ano seguinte, pois se sentia infeliz.

Desde então, a opção do profissional foi por evitar contratos longos.

CONQUISTADO PELO CORINTHIANS

Exigente no dia a dia, Vítor Pereira tem conquistado uma boa proximidade com o elenco e está confiante no projeto com o Corinthians.

O primeiro passo observado pelo treinador é gerar um melhor condicionamento físico ao elenco corintiano. E em meio a uma grande maratona de jogos, sendo a maioria deles de alto nível de importância e competitividade, a alternativa inicial é de gerar um revezamento no elenco.

Para isso, VP tem se agradado com a estrutura de trabalho dada pelo Corinthians, e está muito contente com os profissionais com quem ele tem trabalhado.

- A estrutura do Corinthians é maravilhosa. As pessoas dentro do clube nos fazem sentir identificados por estarmos aqui, são pessoas espetaculares, que nos fazem sentir bem. Além de trabalhadores do clube, somos amigos. A identificação foi muito rápida, o clube nos dá um ambiente familiar. Me sinto bem dentro do clube – disse Vítor em entrevista coletiva concedida após a vitória sobre o Botafogo, no último fim de semana.

Vítor Pereira ainda não encontrou um local para morar na cidade de São Paulo e segue hospedado em hotel. Mas a sua relação com o Corinthians está tão forte, que ele tem dedicado a maior parte do tempo ao trabalho, o que não deu abertura nem para o profissional conhecer a capital paulistana.

- Daí, São Paulo passou um bocadinho ao lado porque não tive tempo de dar um passeio para conhecer São Paulo. Estamos juntos com nossa torcida, Vai Corinthians, e estamos nos doando de corpo e alma nos jogos. Eles são o 12º jogador e, de fato, sentimos isso – destacou VP.

Com um problema familiar, envolvendo a sua esposa, Vítor relutou para aceitar a proposta do Corinthians. Mas ainda na primeira tratativa, o presidente Duílio Monteiro Alves se viu encantado com a postura do treinador, o colocando como plano A e voltando a negociar com VP, mesmo dias após uma negativa inicial.

Em uma dessas conversas com Vítor, o presidente corintiano garantiu à companheira do profissional que ele seria abraçado e bem cuidados pela nação corintiana.

E o bom tratamento tem sido pelos torcedores, mas também no dia a dia de trabalho. Enquanto a Fiel tem blindado Vítor de críticas, no cotidiano o treinador tem se sentido feliz com a relação que possui com os funcionários de todos os setores e departamentos.