Renato Augusto e Paulinho - Corinthians 2014

Renato Augusto e Paulinho podem se reencontrar no Corinthians em 2022 (Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians)

Alexandre Guariglia
21/09/2021
07:00
São Paulo (SP)

Conforme o LANCE! publicou no último domingo, o Corinthians já iniciou as conversas com Paulinho e seu estafe sobre um possível contrato a partir de janeiro de 2022. Mas até que uma proposta seja feita, muita coisa ainda precisa ser estudada e alguns fatores esportivos serão essenciais para o negócio.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Veja como fica o valor de mercado do Corinthians com os reforços

Apesar de falar abertamente sobre ter enxugado a folha salarial do clube antes de fazer as quatro grandes contratações para esta temporada, a diretoria do Timão sabe que os problemas financeiros são delicados e esticar um pouco mais essa corda pode colocar todo o planejamento em risco. Ou seja, qualquer novo negócio exige cautela e o envolvimento de diversos setores do clube.

Segundo apurou o LANCE!, se a janela de transferências estivesse aberta neste momento, muito provavelmente não haveria a possibilidade de contratar Paulinho por conta do aumento da folha salarial e do fluxo de caixa. No entanto, como ficará apenas para janeiro, o tempo será amigo do Corinthians.

O período servirá para buscar possíveis parceiros de marketing interessados em embarcar nessa ideia, como ocorreu com Willian e a parceria com a Socios.com. Não há pressa, até porque o clube já foi informado que Paulinho gostaria de voltar a defender o Timão a partir do próximo ano.

A ação do departamento de marketing será importante, mas os resultados esportivos são os que irão acabar pesando na situação. Isso porque uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem é praticamente um pré-requisito para Paulinho retornar. Com a classificação ao torneio continental, as receitas irão certamente aumentar, melhorando o fluxo de caixa para pagar a folha salarial.

Em resumo, estar entre os primeiros do Brasileirão com esse passaporte para buscar a América tornará o negócio com Paulinho muito mais viável do que ele é hoje. Aliás, sem conseguir a Libertadores, os planos do Corinthians para o ano que vem estarão bem complicados do ponto de vista financeiro. A chegada dos reforços teve como foco justamente essa classificação e os resultados futuros, tanto na questão dentro de campo quanto fora dele, nas receitas.

Paulinho e Corinthians têm um interesse mútuo em estarem juntos novamente, mas nada oficial foi apresentado e as conversas informais já são em tom de possível volta. Enquanto todos esses fatores indicados acima ainda estiverem no campo da incerteza, a negociação não irá para o papel. Sendo assim, ela deve ser levada na "informalidade" até o fim deste ano.