Botafogo-SP x Oeste

Foto: Agência Botafogo

Futebol Latino
02/08/2019
22:46
Ribeirão Preto (SP)

Na noite desta sexta-feira, Botafogo e Oeste entraram em campo pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, no estádio Santa Cruz, localizado na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

Com o placar final de 3 a 2, a equipe comandada por Roberto Cavalo chegou aos 23 pontos somados ocupando agora a quarta colocação. Porém, para que permaneça na zona de classificação para a elite, o Tricolor deverá torcer por tropeços de Paraná e CRB que ainda jogam na rodada.

Já o time comandado por Renan Freitas, com o revés, segue na 12ª colocação, com 17 pontos conquistados até o momento, cinco pontos atrás do São Bento, que, até o momento, aparece na 17ª posição abrindo o Z4.

Primeiro tempo

Apesar de jogar longe de seus domínios, a equipe do Oeste parecia não querer dar chances ao time do Botafogo. Logo nos primeiros minutos de bola rolando, o time de Barueri partiu pra cima do adversário visando pressionar sua saída de bola, porém não chegou a oferecer perigo ao goleiro Darley.

Até meados dos 20 minutos, eram os visitantes quem mantinham o melhor volume de jogo. Com duas boas chegadas, o Rubro-negro, por pouco, não conseguiu abrir a contagem na primeira tentativa com Matheus Oliveira, já que seu chute parou na defesa do camisa 1 da Pantera, e, na segunda, Bruno Lopes assustou na finalização que passou perto da trave.

Foi somente próximo aos 30 minutos que a equipe de Ribeirão Preto conseguiu chegar mais em seu campo de ataque. Assim como foi a favor do Oeste, na primeira chance com Henan, o atacante acabou batendo para fora, deixando o atleta lamentando o erro, já na segunda, o zagueiro Luis Otávio não hesitou e cabeceou a bola após cobrança de escanteio. 1 a 0.

O tento animou os donos da casa, que, por sua vez, tentaram crescer ainda mais no jogo. No entanto, minutos mais tarde, aos 38, Fábio tratou de igualar o confronto jogando um balde de água fria no Tricolor. Aproveitando o rebote do goleiro, o camisa 9, sem marcação, apenas teve o trabalho de mandar a bola para o fundo do gol. 1 a 1.

E não demorou para a equipe de Renan Freitas virar o placar. Aos 40 minutos, outra vez ele, Fábio, após receber bom passe de Elvis, o atacante, bateu na saída de Darley para marcar. 2 a 1.

Até os acréscimos, apesar de algumas últimas investidas por parte dos botafoguenses, o juiz tratou de colocar um ponto final nos primeiros 45 minutos.

Segundo tempo

Inciando a última etapa atrás no marcador, o Botafogo sabia da necessidade de impor sua força jogando em casa para arrancar o empate. E deu certo. Aos 9 minutos, após cruzamento de Pará, o goleiro Glauco acabou afastando errado dando a bola nos pés do atacante Murilo Henrique, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede. 2 a 2.

Após o gol da Pantera, o ritmo do duelo acabou caindo um pouco com raras chances criadas pelos dois times. Apesar de algumas substituições, apenas um chances de perigo foi criada a favor do Oeste, quando o lateral Cicinho arriscou de longe para a defesa tranquila de Darley.

Ainda não satisfeitos com o rendimento de seus jogadores em campo, os técnicos apostaram suas última fichas nos suplentes. Por parte do Bota, Rafael Costa e Higor Melitão entraram nos lugares de Murilo Henrique e Henan, visando ajudar um pouco mais no poder ofensivo. Já por parte da Onça, a modificação foi no meio trocando Matheus Oliveira por Léo Ceará.

Com o confronto aproximando-se do seu término, a equipe de Barueri parecia estar melhor postada em campo tentando ficar o máximo de tempo em seu campo de ataque.

Porém, mesmo com a pressão que tentou impor ao seu adversário até os acréscimos, o árbitro, aos 46 minutos, acabou marcando um pênalti a favor do Botafogo. Na cobrança, o atacante Rafael Costa, no meio do gol, tratou de dar a vitória para a Pantera, para alívio e comemoração dos atletas do Tricolor.