Victor Cuesta - Botafogo

Victor Cuesta começa a se destacar com a camisa do Botafogo na temporada (Vitor Silva/Botafogo)

Felipe Melo
17/05/2022
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Uma das contratações do Botafogo na era SAF, o zagueiro Victor Cuesta teve oportunidades como titular nos últimos jogos e mostrou credenciais para se consolidar na defesa alvinegra. Com segurança e bom posicionamento, o defensor teve uma boa atuação no triunfo sobre o Fortaleza, ganhando todas pelo seu setor e fazendo boa dupla com Kanu. 

+ Relembre o desempenho do Botafogo em cada edição do Brasileirão por pontos corridos

Revelado pelo Arsenal de Sarandí, o jogador, de 33 anos, também teve passagens por Defensa y Justicia, Huracán e Independiente antes de assinar com o Internacional, em 2017. Com uma boa sequência, se destacou pelo Colocado e foi eleito o melhor zagueiro do Brasileirão em 2018. No entanto, teve uma queda de rendimento nos últimos meses e foi cedido por empréstimo ao clube carioca. 

+ Vítor Severino vê identidade sendo construída no Botafogo: 'Não queremos nunca uma equipe reativa'

A respirar novos ares, o zagueiro trouxe mais segurança à defesa alvinegra e tem conquistado seu espaço neste início de Campeonato Brasileiro. Diante do Tricolor do Pici, o "El Patrón" foi o líder de interceptações do time ao lado de Tchê Tchê, segundo dados do "Footstats" (duas rebatidas, cada).

Nas rebatidas, o jogador liderou o fundamento com folga. Foram 10 ao longo da partida, com sete do seu companheiro de zaga Kanu. No duelo anterior, no clássico contra o Flamengo, mais uma vez, Cuesta apresentou números que deixaram o torcedor alvinegro empolgado, com onze rebatidas, não dando espaço ao ataque rubro-negro.

+ Com festa da torcida e no clima de John Textor, Botafogo entra no G4 do Brasileirão após quase três anos


A aplicação tática é outro aspecto em que o zagueiro se destacou, ganhando praticamente todas as bolas que foram em direção ao seu setor. Experiente, soube se posicionar bem para auxiliar tanto nas saídas de bola, quanto na marcação pela esquerda ao lado do lateral Daniel Borges.

Canhoto, o zagueiro também mostrou qualidade para sair jogando e construir. Em sua apresentação, ele reconheceu que, primeiramente precisa defender, mas que gosta de achar um passe entre as linhas e ter a bola nos pés. Seja pela bola longa ou buscando os volantes, Cuesta procura ajudar no primeiro passe, já do setor defensivo.

Esse fundamento teve destaque no primeiro gol do Botafogo contra os cearenses. O defensor apareceu na frente e fez o cruzamento para o desvio de Erison. Ele estava no setor, pois a bola surgiu de uma cobrança de falta alçada na área. A jogada aérea também é uma forte característica do atleta, desde quando ainda atuava na Argentina.

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro 

O técnico português Luís Castro conta com opções diversificadas para a zaga. Além dos titulares Victor Cuesta e Kanu, o comandante tem no elenco o experiente argentino Joel Carli, que tem identificação com o Glorioso e se tornou o estrangeiro com mais jogos na história do clube - 181 aparições. William Klaus e Philipe Sampaio, que se recupera de lesão, completam a lista. 

Ainda é cedo para sacramentar a titularidade de Cuesta. O atleta não pode jogar a atual edição da Copa do Brasil por já ter entrado em campo pelo Internacional. Esse início, porém, mostra que o defensor tem credenciais para se firmar e dar muitas alegrias aos torcedores alvinegros nesta nova e promissora fase.