Felippe Rocha e Lazlo Dalfovo
28/12/2018
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

O LANCE! segue nesta sexta-feira com a série especial retrospectiva 2018. Um dos capitães do elenco do Botafogo, Rodrigo Lindoso iniciou a temporada como reserva, quando o treinador ainda era a aposta Felipe Conceição. Na partida inaugural da temporada, contra a Portuguesa, ele foi apenas a quarta opção do treinador e ficou no gramado apenas sete minutos. Já diante de Boavista e Madureira, também pela Taça Guanabara, sequer foi relacionado. O cenário só mudou quando Alberto Valentim assumiu o comando da equipe.

Com o novo técnico, Lindoso sempre foi titular. Passou a ser peça importante atuando como primeiro volante, ao lado de João Paulo e Matheus Fernandes. Em um determinado período, aliás, foi exaltado por Valentim como "protagonista na profissão". O elogiado camisa 5, por sua vez, admitiu que havia passado por "um momento complicado, pois vinha treinando forte e se dedicando em campo" nos primeiros jogos do Estadual.

Por falar na campanha do título carioca, Rodrigo Lindoso encerrou a participação em bom nível, tanto que foi eleito para a seleção do Cariocão. No Campeonato Brasileiro, o meio-campista seguiu como um nome incontestável, ainda mais que teve que assumir a faixa de capitão e o status de líder em campo, sobretudo com a lesão de Jefferson. Construtor silencioso das jogadas, quase sempre foi o jogador que mais vezes detinha a posse de bola do Glorioso.

Rodrigo Lindoso, com Zé Ricardo, mostrou uma faceta importante: terminou como o artilheiro da Era Zé, com quatro gols. Sem meias à disposição, Lindoso chegou até a jogar mais adiantado na reta final. Entretanto, neste ínterim, protagonizou uma polêmica com a torcida, que, em derrota para o Bahia, passou a vaiá-lo e pegou no seu pé quando demorou para recolocar a chuteira. Ele, em tom de ironia, chegou a pedir para a torcida continuar, mas depois se desculpou. Quem mais acertou passes do elenco, o volante fechou a temporada com 51 jogos e oito gols marcados.

O ANO DE RODRIGO LINDOSO

SOBE - REGULARIDADE E GOLS
Se iniciou a temporada 2018 como reserva, Rodrigo Lindoso terminou o Carioca em um nível respeitável, tanto que foi eleito para a seleção do Campeonato Carioca. Pelo Brasileiro, manteve a forma e ainda fez gols importantes - ao total, anotou 8 no ano.

DESCE - DESCONFIANÇA
Assim como ocorre com outros jogadores do elenco, a torcida ainda tem um pé atrás quanto ao camisa 5, e capitão em muitos jogos, por achá-lo com pouca "pegada" para a posição. No entanto, em entrevista coletiva, Lindoso se defendeu das críticas ao mostrar que seus números são favoráveis, como o de maior acertador de passes do elenco em 2018.