Coritiba x Avaí

Coritiba derrotou o Avaí na primeira rodada da Série B (Foto: Divulgação/Coritiba)

Sergio Santana
04/06/2021
10:00
Rio de Janeiro (RJ)

O segundo de 38 capítulos. Após ter empatado com o Vila Nova na estreia da Série B do Brasileirão, o Botafogo terá um confronto com outra equipe que veio da Série A junto com ele: o Alvinegro enfrenta o Coritiba neste sábado, às 21h, no Estádio Nilton Santos.

+ Liderança, bom na bola aérea e fora do auge físico: como Rafael Moura chega ao Botafogo

Ao contrário do Botafogo, o Coxa iniciou a trajetória na competição com uma vitória. Assim como o Alvinegro, contudo, deixou a desejar no Estadual: o time ficou de fora da segunda fase do Campeonato Paranaense pela primeira vez desde 1996.

– O Coritiba chega com o time em construção. A equipe teve um início bom no Estadual mas teve uma queda de rendimento muito grande na reta final e ficou de fora da segunda fase, coisa que não acontecia há mais de 25 anos. Assim, o time ganhou tempo de treinar e foi isso que o treinador Gustavo Morínigo fez - explicou André Ribas, jornalista que acompanha as equipes paranaenses no "Esporte Banda B", ao LANCE!.

Antes, o Coritiba jogava em um 4-2-3-1, com uma linha de três jogadores atrás de Léo Gamalho, o centro-avante. Após a eliminação no Estadual e as semanas de treino, a equipe voltou com uma formação completamente diferente: um time com três volantes e dois pontas, povoando o meio-campo, como explica André Ribas.

– Ele testou uma nova dinâmica no meio-campo com três volantes: Willian Farias, Valdemir e Matheus Sales. A equipe fez um dos seus melhores jogos no ano diante do Avaí. Esse esquema potencializa o lateral Igor, que disputou a Série B do ano passado pelo Juventude, é muito técnico, cruza muito bem, um dos principais destaques da equipe na temporada. Do outro lado, o Gustavo testou o Natanael, lateral-direito de origem, que jogou praticamente como ponta, foi muito agudo e sempre atacou pelos lados - analisou.

+ Aluguel, visibilidade e estrutura: os motivos do 'sim' do Botafogo para a Copa América no Nilton Santos

De fato, o Coritiba estreou em grande estilo: bateu o Avaí, campeão catarinense, por 2 a 0 tendo 69% de posse de bola e finalizando dez vezes ao gol. Waguininho e Valdemir marcaram os gols do Coxa.

A equipe de Gustavo Morínigo entrou em campo com Wilson; Igor, Nathan Ribeiro, Luciano Castán, Natanael; Valdemir, Willian Farias, Matheus Sales; Rafinha, Léo Gamalho, Waguininho.

POSSÍVEL REENCONTRO?
Uma das mudanças estudadas pelo treinador paraguaio visando o jogo contra o Botafogo é a entrada de Gustavo Bochecha, anunciado durante a semana, no lugar de Matheus Sales, com a intenção de dar mais qualidade no passe. Vale ressaltar que o atleta é cria das categorias de base do Alvinegro e saiu do clube de forma conturbada.

– A ideia é que o Gustavo Bochecha entre e ajude na dinâmica do meio-campo pela chegada ao ataque, na vaga do Matheus Sales. É um volante de mais saída de bola, menos intensidade para marcar e vai ter o Willian Farias, mais de contenção, ao lado. É a trinca que o Coritiba testou com o Avaí e deu certo. Não se sabe qual será a postura do time fora de casa, há um ponto de interrogação porque o Coxa está em formação, foi a primeira vez que esse sistema foi testado. Não dá para saber se vão jogar na transição ou se vão tentar atacar e acionar os jogadores do sistema ofensivo - comentou o jornalista.

Gustavo Bochecha no Coritiba
Bochecha no Coritiba (Divulgação/Coritiba)

O possível estilo de jogo do Coritiba no Nilton Santos é uma incógnita. Vão atacar, assim como aconteceu na vitória sobre o Avaí, ou vão esperar as ações do Botafogo, por ser um jogo fora de casa? Apenas o tempo irá dizer.

– Diria que o ponto fraco é saber justamente como o Coritiba vai se comportar fora de casa. Pegou o Avaí dentro do Couto Pereira, o adversário estava com reservas, mas agora o confronto é difícil. O Gustavo precisa criar fórmulas para se adaptar a cada jogo - finalizou.