Pedro Castro e Chamusca - Botafogo

Pedro Castro e Marcelo Chamusca, do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Sergio Santana
02/07/2021
09:00
Rio de Janeiro (RJ)

O objetivo do Botafogo na temporada 2021 está claro desde o primeiro jogo da equipe: conseguir uma vaga na Série A do Campeonato Brasileiro. A equipe, porém, ainda mostra dificuldade para engrenar uma sequência positiva que empolgue o torcedor. Mesmo assim, o time dá mostras que vai brigar pelo G4 neste início de Série B.

+ Ainda longe de ser brilhante, vitória é importante para Botafogo retomar confiança

As primeiras partidas até foram promissoras. Um início invicto acabou virando uma sequência de três jogos sem vencer - terminada na última quarta-feira, diante do Vitória. Em entrevista exclusiva ao LANCE!, Pedro Castro admitiu que os três pontos diante da equipe baiana foram importantes, acima de tudo, para deixar este histórico negativo para trás.

– Ninguém gosta de perder. A gente fez duas boas partidas, uma com o Náutico na casa deles, não são os líderes à toa, e outra contra o Londrina. Teve o jogo contra o Sampaio e aquele lance da arbitragem. É complicado ter uma sequência de derrotas, quebramos isso contra o Vitória. Não fizemos um jogo perto daquilo que a gente queria fazer, mas o final é o que importa. Não vai ser todo jogo que a gente vai ser brilhante. Vencemos na consistência e na raça. A gente precisava muito dos três pontos - afirmou.

Após a partida, Marcelo Chamusca, treinador do Alvinegro, reconheceu que nem sempre o time vai se sobrepor em um duelo, mas que estes jogos são os mais importantes a serem ganhos. O meio-campista concorda com o técnico.

– Ele sempre deixou isso bem claro. Lógico que a gente quer dar um espetáculo para a torcida, mas a Série B é bastante competitiva, tem uma grande diferença para a Série A. No final o que importa são os três pontos, você jogando bem ou mal. É importante sempre somar. É claro que a gente queria ter feito um bom jogo, temos trabalhado melhor a cada semana. A Série B vai ser assim. Também vão ter jogos que a gente vai conseguir propor nosso jogo - completou.

A criação de jogadas tem aparecido como uma das principais dores de cabeça do Botafogo na temporada. O time pena para desenvolver oportunidades a partir da bola no chão - boa parte dos gols na Série B nasceram em transições após recuperação de posse. Pedro Castro usou o jogo contra o Vitória para exemplificar tal dificuldade.

– Quanto mais jogadores tem atrás da linha da bola, perto da área de defesa, é mais difícil para você entrar. O Vitória jogou com três zagueiros e isso te dá pouco espaço para infiltração. Você acaba criando mais com bola parada, um chute de fora da área. Eu acredito que temos feito boas criações de jogadas, mas ainda podemos melhorar o jogo nessa parte. Mas uma equipe que vem para se defender é mais difícil de furar. Tanto que nosso gol foi um chute que o Chay acertou e que ninguém esperava. A dificuldade é por ter mais pessoas perto da área - analisou.

CONTATO COM CHAMUSCA
É missão de Marcelo Chamusca achar uma maneira do Botafogo superar as dificuldades - ou, no pior dos casos, passar por cima delas e, mesmo assim, ganhar jogos. Criticado por boa parte da torcida nas redes sociais por conta dos resultados irregulares, o treinador é visto de forma contrária pelo grupo.

– Tenho uma relação bastante saudável com ele. Nunca tinha trabalhado com ele antes, mas sempre ouvi de amigos que era uma grande pessoa, e tenho comprovado isso. Geralmente durante a semana ele conversa bastante, pergunta como a gente está, até coisas fora do futebol mesmo. Mas também fala sobre trabalho, como jogam as outras equipes, pontos fortes e fracos dos adversários. Tem muitas vezes que chama os jogadores pra conversar individualmente também. Tem essa característica de chamar atleta por atleta. É um cara bastante parceiro, quer sempre saber como a gente está - afirmou.

Blindado pelo elenco, Chamusca foi alvo de elogios de Pedro Castro. O meia falou sobre o dia a dia com o treinador e elogiou a forma como ele maneja as questões para com o grupo.

– Ele cobra firme quando tem que cobrar, é o certo, nós precisamos disso. Quando é pra dar um puxão de orelha ele também sabe fazer. Ele sabe gerir bem o grupo, nós gostamos bastante dele. Estamos fazendo bons jogos, espero que no final do ano a gente esteja comemorando o acesso - completou.

Marcelo Chamusca - Botafogo
Marcelo Chamusca é o técnico do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

OUTRAS DECLARAÇÕES DE PEDRO CASTRO:

Parceria com Luís Oyama
- O Oyama tem muita qualidade, já o enfrentei jogando por outras equipes e agora tenho a felicidade de jogar ao lado dele. Ele é um cara que dá bastante qualidade na saída de bola, acredito que o Botafogo o contratou por isso. Também tem o Frizzo, que tem essa qualidade, o Barreto, Ricardinho... O nosso grupo é bastante qualificado.

Como se organiza com Oyama
- A gente tem conversado bastante. Lógico que cada time pede um jeito diferente de jogar, mas enquanto temos atuado juntos nós conversamos muito. Até porque temos pouco tempo de treino, é muita viagem longa, acaba ficando limitado.

Chay disse que quis chutar no lance do gol contra o Vitória
- É complicado né (risos). Se ele falou que chutou eu acredito. Deu a vitória para nós, isso que importa, então pode falar o que quiser. A vitória é o que importa. Foi um chute de rara felicidade, não é difícil de acertar. Mas o gol é o que importa, comemoramos do mesmo jeito.

Pedro Castro
Pedro Castro tem 4 gols na temporada 2021 (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Posição que prefere atuar dentro de campo
- Costumo dizer que estou aqui para ajudar. Sempre que me colocarem em campo eu vou fazer o melhor pra ajudar a equipe. Eu jogo em qualquer função do meio-campo, mas onde eu gosto de atuar mesmo é de segundo volante, chegando de frente, tendo liberdade para infiltrar, arriscando de longe, é a minha característica. Acredito que eu contribuo bastante.

Críticas a Marcelo Chamusca nas redes sociais
- Não costumo ficar vendo esse tipo de coisa, não fico tão antenado em rede social, demoro pra responder as pessoas. Mas acredito que isso seja pelo início do ano, o Estadual, queríamos ter ficado entre os quatro primeiros, e a eliminação precoce na Copa do Brasil, tudo isso contribui para que os torcedores não tenham paciência. A gente sabe como o futebol funciona, precisa de sequência, é um grupo que foi formado praticamente do zero e isso demanda tempo. Entendo a cabeça do torcedor que quer ver o Botafogo sempre vencendo, e nós jogadores também queremos isso. Futebol é uma caixinha de surpresa, nem sempre tudo está no nosso comando. É um trabalho que está sendo bem feito, a gente tem bons jogos. Deixamos alguns resultados escaparem e temos noção disso. Ainda precisamos melhorar, mas confio na qualidade do nosso grupo.