Bruno Lazaroni - Botafogo

(Foto: Vítor Silva/Botafogo)

LANCE!
02/10/2020
18:28
Rio de Janeiro (RJ)

Bruno Lazaroni assumiu o Botafogo já com muito trabalho a fazer. O Alvinegro é o penúltimo colocado do Campeonato Brasileiro, com 11 pontos, e vive um jejum de vitórias. Foi justamente neste ponto que o treinador tocou como principal objetivo em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira, no Estádio Nilton Santos.

- Estou muito honrado com essa oportunidade. O grande desafio é trazer resultados a curto prazo. Só com eles que vamos dar sequência ao trabalho. É claro que desempenho é importante, te aproxima de vitórias. Mas resultados a curto prazo vão dar tranquilidade a mim e ao clube - afirmou.

Lazaroni assumiu o Botafogo de forma interina em duas oportunidades. Agora, o desafio no cargo é de forma definitiva. O comandante, contudo, não se prende a nomenclaturas.

- Independente do status, o mais importante para fazer com que eu tenha continuidade é resultado. É a realidade. Todo treinador quando está no cargo está de forma interina. Alguns com um pouco mais de margem, como é o caso do Renato Gaúcho no Grêmio - completou.

Sem muito tempo de treino, a estreia do técnico já será no próximo domingo, contra o Fluminense, às 11h, no Nilton Santos, pelo Campeonato Brasileiro. Lazaroni afirmou que, com poucas atividades, a solução é tentar aumentar a confiança dos jogadores.

- O desafio é grande, difícil. Mas é tentar dar continuidade ao trabalho do Paulo. Em alguns jogos tivemos um desempenho muito bom mas por alguns erros a coisa acabou não acontecendo. É tentar elevar o nível de confiança da equipe, trabalhar incessantemente nos pequenos prazos e utilizar muito a ferramenta de vídeo - admitiu.

MAIS ASPAS DE LAZARONI

Kelvin
- Não tenho muito o que falar sobre o Kelvin, ainda não está 100% certo. A produção ofensiva, no pouco tempo que temos para trabalhar, vamos tentar trabalhar as quatro formas de fazer um gol. Através de vídeo, vamos tentar mostrar essas situações para ter mais chances de gols.

Reforços
- A respeito de reforços, eu vou deixar para o Comitê de Gestão e ao Túlio. Eu tenho que encontrar soluções dentro do grupo. Tenho muita confiança nesses atletas, já deixaram boas impressões durante o Brasileirão.

Carreira
- Agradeço a confiança da diretoria em mim, mas pavimentei minha história no futebol. Tenho um pai treinador, então nasci nesse meio. Fui atleta profissional, apenas mediano, mas tive a oportunidade durante 13 anos de jogar. Procurar me capacitar após o encerramento da minha carreira com o curso de educação física e os cursos da CBF. Minha maneira de ser e minha forma de trabalhar foram determinantes.

Jogadores que não vinham tendo oportunidade
​- Todos os atletas estão aptos a jogar podem vir a ter oportunidade. É precoce falar agora. O Cícero é algo mais preso à diretoria. O Lecaros vem treinando forte, caso ele venha a merecer com certeza vai ganhar oportunidades. É preciso agarrar.

Três zagueiros
​- Mesmo com o Paulo a gente já usou diversas estruturas de início. Essa de três zagueiros nós fomos muito bem, talvez a nossa partida no ano, contra o Corinthians, foi com ela. O Paulo alterou muito no ano. Independente da formação, o que vale a estratégia.