John Textor

John Textor vai comprar o Botafogo (Foto: Divulgação)

Sergio Santana
07/01/2022
02:22
Rio de Janeiro (RJ)

John Textor está a caminho do Brasil para assinar o contrato para comprar 90% da SAF do Botafogo e assumir o controle do departamento de futebol do Alvinegro. Ao todo, o empresário vai pagar R$ 400 milhões para isto - que serão quitados em quatro parcelas. O contrato conversado entre as partes prevê várias cláusulas.

+ Velocista, destaque em 2020 e baixo aproveitamento nos chutes: quem é Vinícius Lopes, reforço do Botafogo

Textor colocou como uma das propostas o investimento mínimo no futebol profissional para peformar na Série A do Brasileirão, tendo um aumento de 50% na receita bruta da folha salarial em relação ao ano anterior. Esse será considerado como um "orçamento mínimo" para o time ter um bom desempenho em campo.

Isso coloca, indiretamente, uma 'obrigação' da montagem de time competitivo. Para isso, um dos "bullet points" que têm sido analisados entre as partes é que o empresário vai conceder R$ 50 milhões ao Botafogo até cinco dias depois da aprovação em Assembleia Geral da venda da SAF, no dia 14 de janeiro. O valor é uma forma de adiantamento.

Se tudo der certo, o dinheiro não será apenas para 'ser torrado' em contratações. O cuidado e responsabilidade com as dívidas é citado com frequência. Mas claro que parte do montante será destinado para melhoras da equipe durante a temporada.

Textor vai pagar R$ 400 milhões para adquirir o Botafogo. Desses, R$ 100 milhões serão à vista após a assinatura dos documentos definitivos; outros R$ 100 milhões em 12 meses; mais R$ 100 milhões em 24 meses e R$ 50 milhões em 36 meses - os R$ 50 milhões que serão colocados a 'curto prazo' completam o valor cheio da operação.

Todos os ativos do futebol, entre jogadores e estruturas, serão cedidos à SAF, que não poderá mudar o escudo nem as cores do Botafogo. Vale ressaltar que aportes extras para manter o "investimento mínimo" não vão diluir as ações do Botafogo na S/A. Valores acima disso vão diluir 5% das ações do BFR.

O americano desembarca no Brasil nesta sexta-feira e se encontra com representantes do Botafogo nos próximos dias para fechar esses detalhes. A tendência é que tudo ocorra bem e que o investidor retorne com o contrato vinculante assinado.