Botafogo x Nova Iguaçu

O Botafogo venceu o Nova Iguaçu de virada, com dois gols nos acréscimos (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

João Alexandre Borges
29/03/2021
09:00
Rio de Janeiro (RJ)

A vitória do Botafogo sobre o Nova Iguaçu por 2 a 1, em partida válida pela sexta rodada do Campeonato Carioca, no último domingo, evidenciou um ponto positivo para a temporada de 2021. Após um Brasileirão, onde o time foi omisso dentro de campo, o Glorioso, embora não tenha feito um grande jogo, lutou até o fim e conseguiu arrancar a virada na base da vontade de vencer - o que pouco se viu na última temporada.

> Sócio de empresa que ajudou na contratação de CEO elogia Botafogo

Após um jogo abaixo do esperado contra o Flamengo, na quinta rodada da competição, onde o time titular do Botafogo foi completamente dominado pela base Rubro-Negra, a mudança de postura era essencial para que o Glorioso reencontrasse o caminho das vitórias. Assim, foi com essa mentalidade que o elenco do clube de General Severiano chegou ao estádio Elcyr Resende de Mendonça, em Saquarema. 

- A gente tem que mudar a postura. A gente entrou um pouco abaixo (contra o Flamengo) do que estávamos apresentando. Então, temos que fazer um grande jogo hoje para voltar a vencer e voltar a confiança de todo o elenco - analisou Douglas Borges, em entrevista à Botafogo TV, na chegada ao estádio.

- Sem dúvidas, o espírito tem que ser outro. Para jogar no Botafogo, tem que ter vontade e tem que ter garra. É isso que está faltando, mas vamos mostrar isso dentro de campo. A gente tem um foco que é classificar entre os quatro. Então, esse é o jogo para que a gente dê esse passo inicial para a classificação - disse Gilvan, também em entrevista à Botafogo TV, na chegada ao estádio.

É verdade que a atuação em campo do Botafogo não foi boa e, mesmo com mais posse de bola, a equipe teve pouca qualidade para concluir as jogadas criadas. No entanto, a declaração do camisa 4 do Botafogo sintetiza o espírito que apresentado dentro de campo. A "garra" citada por Gilvan prevaleceu sobre o desempenho ruim, sobre os 23 cruzamentos errados e sobre as oito finalizações que não encontraram a direção do gol de Luis Henrique. 

Não só a mudança de postura, como também o resultado na prática podem ser um alento para o torcedor botafoguense de dias melhores. Na campanha do rebaixamento do Brasileirão de 2020, o Botafogo conseguiu apenas duas viradas: no empate contra o Corinthians por 2 a 2, na oitava rodada, e na vitória contra o Coritiba por 2 a 1, na 26ª rodada. Isso deixa claro como o poder de reação do Alvinegro não aparecia nos momentos de mais dificuldade durante a última temporada.

- Tivemos uma atitude diferente do jogo contra o Flamengo. O jogo é muito emocional, quando você consegue virar o jogo desta forma, num contexto de tabela que precisávamos do resultado, isso nos dá muita confiança. Aqui é Botafogo, um clube que está acostumado a conseguir vitórias e conquistas no final - destacou o técnico Marcelo Chamusca em coletiva.

O Botafogo volta a campo na próxima quarta-feira, no estádio Giulitte Coutinho, em Edson Passos, contra o Madureira. Esta será mais uma oportunidade para o time de Chamusca mostrar que já venceu o passado, criou uma nova identidade e pode, sim, mostrar poder de reação quando a adversidade surgir.