Yaya Touré - Manchester City

Yaya Touré em ação pelo Manchester City (Foto: Glyn Kirk / AFP)

Sergio Santana
16/02/2020
12:38
Rio de Janeiro (RJ)

A diretoria do Botafogo se animou com a possibilidade da chegada de Yaya Touré, oferecido por Marcos Leite, empresário que foi responsável por viabilizar a chegada de Keisuke Honda ao Alvinegro. Os recursos financeiros, contudo, limitam a diretoria do clube da Estrela Solitária, que ainda não fez nenhum tipo de proposta ao marfinense, livre no mercado após deixar o Qingdao Huanghai, da segunda divisão da China, no início do ano.

O Comitê Executivo de Futebol do Alvinegro, contudo, não jogou a toalha. Sob a liderança de Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente e membro do grupo, o Alvinegro está em busca de investidores externos que possam viabilizar financeiramente a contratação do meio-campista de 36 anos.

A aparição de um agente não necessariamente envolvido no dia a dia do clube é, no momento, a única forma que pode fazer a contratação acontecer. O negócio por Yaya Touré é considerado complicado, mas o Botafogo corre contra o tempo para levantar fundos e, consequentemente, tentar atrair o jogador com o projeto. 

Ainda não há proposta oficial, já que a diretoria não achou tal possível investidor. Outros clubes - entre eles um da América do Sul - também mostram interesse em Yaya Touré, que viria, por estar sem clube, sem custos.

O esquema com um investidor seria, em partes, parecido com o de Keisuke Honda: a pessoa que ajudar a viabilizar a possível chegada de Yaya Touré teria uma porcentagem de toda ação de marketing e peça vendida que envolveria o marfinense. Sem dinheiro, esta é a única forma que o Botafogo enxerga que pode atrair um possível interessado.