Botafogo - Copinha

Time do Botafogo na Copinha (Foto: Divulgação/Botafogo)

Sergio Santana
19/01/2022
05:00
Rio de Janeiro (RJ)

A eliminação do Botafogo na Copinha pela derrota por 1 a 0 para o América-MG causou, ao mesmo tempo, decepção e um sentimento de que o time poderia ter ido mais longe. Isso porque a equipe comandada por Ricardo Resende chegou a São Paulo com vários desfalques, mas se superou durante o torneio e, mesmo sem dar show, foi competitiva contra o Coelho.

+ Marcinho não é mais jogador do Botafogo: saiba as contratações, saídas e sondagens do clube

Pelo curto elenco diante das saídas na virada do ano, sete jogadores que atuaram de forma regular no time sub-20 no ano passado foram chamados por Enderson Moreira para participar da pré-temporada. Ricardo Resende, técnico do sub-20, teve menos de um mês para preparar uma equipe com várias mudanças visando a Copinha.

Igo Gabriel, Vitor Marinho, Juninho, Vitinho, Matheus Nascimento, Gabriel Conceição e Rikelmi se juntaram ao profissional. Nesse contexto, outros jogadores apareceram para os holofotes na Copinha. O LANCE! mostra quais atletas tiveram boas atuações na competição sub-20.

RAÍ

Raí - Botafogo
Raí, do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Posição: Meia
Idade: 21/04/2002 (19 anos)
Contrato: 31/12/2022
Jogadores do setor no profissional: Chay, Felipe Ferreira, Juninho e Vitinho

Não apenas um dos melhores jogadores do Botafogo, mas de toda a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Uma espécie de "12º jogador" no ano passado, Raí teve um torneio de afirmação e liderou tecnicamente o Alvinegro. O jogador marcou um gol e deu três assistências.

Com a bola no pé, Raí não deve praticamente nada a ninguém que disputou a Copinha. O trabalho sem bola, contudo, é algo que precisa ser trabalhado. A intensidade para marcar e compor espaços é o ponto fraco do meio-campista - e algo que pode pesar negativamente por eventuais chances no profissional.

GUILHERME LIBERATO

Guilherme Liberato - Botafogo
Guilherme Liberato, do Botafogo (Foto: Fábio de Paula/Botafogo)

Posição: Volante
Idade: 16/06/2001 (20 anos)
Contrato: 31/12/2022
​Jogadores do setor no profissional: Breno, Fabinho Kayque e Romildo

De todos os jogadores do elenco, talvez o 'mais preparado' para jogar no time profissional. Com porte físico avantajado, ele se destaca justamente pelas disputas no meio-campo e proteção no setor. Não é um volante pesado, tem mobilidade e até se aventura para sair jogando.

Apesar de ter cometido o erro que gerou o gol do América-MG, a Copinha de Liberato foi maior que isso. O jogador de 20 anos ainda é afobado no quesito de largar a posição original para sair no combate aos adversários na busca por uma roubada de bola, deixando por vezes a linha desprotegida. Mesmo assim, é um nome a se observar.

JEFINHO

Jeffinho - Botafogo
Jefinho, do Botafogo (Foto: Reprodução)

Posição: Lateral-esquerdo
Idade: 14/01/2002 (20 anos)
Contrato: 31/12/2022 (emprestado pela Portuguesa-RJ)
Jogadores do setor no profissional: Carlinhos, Hugo e Jonathan Silva

Se a primeira impressão é que a fica, Jefinho sai com moral. O lateral-esquerdo foi contratado pelo Botafogo no fim do ano passado após a Copa Rio/OPG e estreou pelo clube justamente na Copinha, sendo titular em todos os jogos com Ricardo Resende.

As raízes de futsal são bem claras: Jefinho gosta de pisar, dominar e avançar com a bola no pé, sendo um lateral que sai para jogar e construir por dentro, participando com frequência do jogo ofensivo. A atuação do jogador cai justamente quando ele está longe da área, quando é forçado a dar passes longos e/ou cruzamentos de maior precisão.

KAWAN

Kawan - Botafogo
Kawan, do Botafogo (Foto: Adriano Mendes)

Posição: Zagueiro
Idade: 10/04/2003 (18 anos)
Contrato: 31/03/2023 (contrato de formação)
Jogadores do setor no profissional: Joel Carli, Kanu, Lucas Mezenga e Klaus

Kawan é outro que chegou no Botafogo na reta final do ano passado, após passagem pelo Betim-MG. Mesmo sendo um dos mais jovens da equipe, conquistou espaço no time titular e teve papel interesse taticamente: era um dos mais ativos nos passes na saída de três na defesa e por vezes se comportava como um primeiro volante.

Mostrou facilidade de sair jogando com as duas pernas - tem a perna esquerda como a dominante. Em termos defensivos, se destacou pelos duelos no chão. Até pela idade e ainda por não ter a parte física avançada quanto os demais, Kawan não mostra sinais de que 'está pronto' para o profissional, mas é um nome que pode ser observado e, principalmente, colocado em treinos.