Matheus Frizzo

Matheus Frizzo está próximo de acerto com o Botafogo (Foto: Thiago Ribeiro/Amplitude Comunicação)

Sergio Santana
16/02/2021
14:45
Rio de Janeiro (RJ)

A campanha do Vitória na última Série B passou longe de encher os olhos, mas a equipe contou com alguns jogadores que chamaram a atenção. Um deles foi Matheus Frizzo, jogador que tem acordo encaminhado para defender o Botafogo na próxima temporada. O meio-campista deve desembarcar no Nilton Santos por empréstimo junto ao Grêmio.


O meio-campista atuou no Rubro-Negro na segunda metade da Série B. Antes, estava cedido ao Atlético-GO, onde não teve muitas oportunidades. Pelo Leão, foram 17 partidas na segunda divisão e duas assistências. Um fato curioso é que ele possui uma multa rescisória de 80 milhões de euros (pouco mais de R$ 490 milhões, na cotação atual).

Canhoto, o jogador de 22 anos atua tanto como primeiro ou segundo volante, se destacando pela ocupação de espaços no meio-campo. O LANCE! conversou com Marcello Góis, setorista do Vitória na "Rádio Metrópole FM", de Salvador, que falou sobre as características de Frizzo.

- Dos 17 jogos que teve relacionado, foi titular em 14. Segundo volante que joga com consciência, cabeça em pé. Canhoto, tem bom passe e ótima visão de jogo. Constrói mais do que destrói. Ele também era bom na recomposição, transição iniciava a transição ofensiva. Sabe recompor bem - afirmou.

Nem tudo são flores, é claro. Ao ser perguntado sobre os defeitos de Matheus Frizzo, Marcello citou o fato da bola coberta, um dos principais problemas do Botafogo na atual temporada.

- Me chama a atenção dois pontos (negativos): ruim de cabeceio, talvez até pelo tamanho. Bola aérea com ele marcando será problema. E finalizações, precisa aprimorar - completou.

Na última Série B, Frizzo teve médias de 40 passes certos por partida, 88% de acerto nas tentativas de passe e praticamente um passe para finalização por jogo. Os números são do "Sofascore". Além disto, também acumulou - por duelo - 21.2 passes na direção do campo adversário, 19.2 toques para a própria metade do campo e 75% de acerto nas bolas longas.

Em termos defensivos, acumulou 0,9 interceptações, 1.4 entradas, 3.9 disputas de bola vencidas e 0.6 cortes por partida, levando cinco cartões amarelos nas 17 partidas que disputou.

A passagem foi muito boa. Um dos poucos do elenco que foi muito bem quisto pela imprensa e a torcida. Vai fazer muita falta. Era um dos pontos de equilíbrio do meio de campo. Foi importante, além de acrescentar tecnicamente, taticamente era fundamental - completou Marcello.