Rafael Carioca - BFR

Em 2020, jogador disputou a Série B pelo Vitória. Foto: Divulgação/Botafogo

LANCE!
02/04/2021
16:54
Rio de Janeiro (RJ)

Nesta sexta-feira, Rafael Carioca foi oficialmente apresentado no Botafogo. Aos 28 anos, o jogador com passagens por Ceará - time em que foi comandado por Marcelo Chamusca -, RB Bragantino e Vitória chega para disputar posição na lateral esquerda com os jovens Paulo Victor e Hugo, além de Guilherme Santos. Em coletiva, o atleta falou sobre o desafio de atuar pelo Glorioso e fez referência a Nilton Santos, um dos grandes ídolos da história do time. 

> Veja a classificação do Campeonato Carioca

- Estou muito feliz em estar aqui, gostaria de agradecer a instituição do Botafogo por essa chance. Muito bom saber que estou em um clube que teve um dos maiores, senão o maior lateral esquerdo da história do futebol brasileiro (Nilton Santos). Então, é agarrar com unhas e dentes essa oportunidade e dar o meu melhor mais uma vez. 

Perguntado sobre ser indicação de Marcelo Chamusca, Rafael comentou sobre a disputa por posição dentro do Alvinegro. Para o lateral, a concorrência na posição agrega o Botafogo pelas variedades técnicas de cada jogador. 

- Eu vim para somar. Vou tentar buscar meu espaço trabalhando muito, independente de ser indicação do treinador ou não. Espero que a gente (o atleta e o técnico Marcelo Chamusca) consiga os triunfos que tivemos no Ceará, por exemplo, quando conseguimos o acesso (em 2017) e títulos estaduais - disse o jogador. 

- A questão de concorrência, eu interpreto como uma oportunidade que o Botafogo tem de ganhar características diferentes na mesma posição. No passado recente eu tive situações com o professor Chamusca em que eu atuei tanto na linha da frente como na de trás, então a gente já se conhece, ele sabe a maneira que eu jogo - completou Rafael Carioca. 

Sobre sua credenciais em campo, a nova contratação do Glorioso ratificou sua polivalência para jogar ou na lateral ou avançado, como uma característica positiva. 

- De alguns anos para cá eu virei lateral esquerdo. Com o professor Marcelo, eu já fui um meia. Mas se for para escolher uma característica minha quando entrar em campo, é a entrega. Eu acho que para um jogador sem entrega, as outras coisas nunca fluem. 

O atleta comentou, também, sobre sua questão física, uma vez que não atua desde o dia 29 de janeiro, no triunfo do Vitória por 1 a 0, em cima do Brasil de Pelotas, ainda pela Série B de 2020. Assim, o jogador fez questão de afirmar que, embora não viesse jogando, já estava treinando e se preparando para o próximo desafio na carreira.

- Minha última partida realmente foi em janeiro, porém, sobre minha questão física eu já vinha treinando, só não estava jogando porque estava no processo de transferência do Vitória para o Botafogo. Então, eu estou treinando, dando meu máximo e espero o mais breve possível estar ajudando o professor a conseguirmos nossos objetivos aqui no clube. 

Já na final da entrevista, Rafael Carioca disse sobre o bom ano que fez com o RB Bragantino em 2019, quando jogou bem e foi campeão da Série B, mas no ano passado acabou caindo de produção no Vitória. 

- Vejo como situações diferentes (a queda de rendimento). Eu também tive anos muito bons, como com as camisas de Ceará e Paraná, em situações boas individuais, mas em certas vezes, não para o clube. Então, eu prefiro que, se for para voltar em momento do passado recente, eu desempenhe o futebol que apresentei no Ceará, porque foi o lugar que eu mais gostei de jogar e que minhas características foram mais vistas.