Victor recebeum uma placa comemorativa do presidente do clube, Sérgio Sette Câmara

Sette Câmara citou o ano do Galo como nota 5 e refletiu sobre os erros da equipe em 2019-(Bruno Cantini/Atlético-MG)

Valinor Conteúdo
05/12/2019
18:35
Belo Horizonte

O fim de temporada do Atlético-MG está quase chegando. Faltando apenas um jogo para encerrar sua participação no Campeonato Brasileiro, no domingo, 8 de dezembro, contra o Internacional, em Porto Alegre, o Galo já começa a refletir sobre 2019 e pensar em 2020.

Após a vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo, no Mineirão, quando o time mineiro confirmou sua vaga na Sul-Americana da próxima temporada, o presidente atleticano, Sérgio Sette Câmara, comentou sobre o ano alvinegro dentro de campo. Sette Câmara deu nota 5 para o Galo e admitiu erros no planejamento da equipe em 2019.

-Cinco é a nota do ano do Galo este ano. Nós poderíamos ter brigado por coisa melhor neste ano. Em um dado momento do Campeonato Brasileiro, abrimos mão para focar na Sul-Americana. Pagamos o preço de não conseguir disputar uma vaga na Libertadores. Gostei do desempenho do time nos últimos jogos- disse o presidente.

O mandatário alvinegro, após o mea culpa, prometeu mudanças ainda no restante deste ano.

-Vamos começar a fazer algumas mudanças a partir da semana que vem. Já estamos fazendo o planejamento há algumas semanas. Vamos aguardar o término do campeonato para começar a implementar uma série de novidades que são necessárias para que a gente possa ter um ano de 2020 bem diferente- disse.

O presidente do Atlético-MG também falou dos erros nas contratações, sendo que o clube investiu dinheiro em 12 atletas e apenas quatro terminam o ano jogando ou sendo aproveitados com frequência: Réver e Igor Rabello, Jair e Franco Di Santo.

-Houve erros em algumas contratações, frutos de avaliações equivocadas. Erros também em relação à utilização de reservas em alguns jogos que comprometeram nosso desempenho no Campeonato Brasileiro. Algumas questões que fizeram com que a gente não tivesse um ano que todos nós atleticanos esperávamos. Mas quero dizer que, por outro lado, temos trabalhado muito para tentar refazer a situação financeira do clube, para que a gente tenha uma saúde financeira melhor no futuro. Todo mundo já viu que se isso não acontecer nos clubes, você não vai brigar por títulos- concluiu. completou.

O Atlético-MG perdeu o Campeonato Mineiro para o Cruzeiro, caiu na fase de grupos da Libertadores, nas quartas de final da Copa do Brasil, também para a Raposa e talvez, o pior resultado do ano: a eliminação em casa na semifinal da Copa Sul-Americana para o Colón-ARG, após ter o resultado na mão para jogar a final. No Brasileiro, alvinegro teve um bom início, brigando por Libertadores, mas no segundo turno, teve uma queda forte no desempenho e somente na 36ª rodada conseguiu afastar o risco de rebaixamento.