Vitória Calhau deverá voltar só no fim da temporada. Sua lesão gerou comentários machistas por parte de alguns torcedores do Atlético-MG

Vitória Calhau deverá voltar só no fim da temporada. Sua lesão gerou comentários machistas por parte de alguns torcedores do Atlético-MG-(Divulgação/Atlético-MG)

Valinor Conteúdo
10/03/2020
21:06
Belo Horizonte

A zagueira do time feminino do Atlético-MG, Vitória Calhau, do Galo Feminino, sofreu uma lesão no joelho direito e terá de ser submetida a uma operação que a deixará fora dos gramados por nove meses e dificilmente voltará a tempo de ajudar sua equipe na temporada. A informação foi veiculada pela jornalista Ruth Martins e confirmada pelo L!. 

Vitória rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito durante trabalhos do Galo Feminino, que se prepara para a estreia no Brasileiro A2, a segunda divisão nacional, contra o Vitória-ES, neste sábado, 14 de março, no Independência.

A jogadora ganhou notoriedade nacional após passar por um constrangimento durante a apresentação do elenco feminino para o torcedor no Mineirão, no intervalo do jogo da equipe masculina, contra a Caldense, no dia 16 de fevereiro.

O mascote do clube, o “Galo Doido” teve uma atitude sexista com a zagueira, simulando interesse sexual na jogadora, fazendo ela “dar uma voltinha”, para em seguida esfregar as mãos “mostrando”. seu interesse por Vitória. A ação do mascote não foi bem recebida, gerou uma série de críticas a ponto do Atlético ter de fazer um pedido de desculpas público, comunicar que iria punir o funcionário que veste a personagem e promover um debate contra o machismo nos estádios e contra a sua equipe feminina.

Comentários sexistas na web

O caso de assédio do mascote teve muitas discussões entre os atleticanos que discutiram sobre as ações do “Galo Doido”. A maioria condenou seus atos. Porém, houve quem não visse problema no que aconteceu. Essa parte da torcida chegou até “comemorar” a lesão de Vitória Calhau no joelho direito.

No Twitter, houve quem comentasse que “ a sua praga pegou para a jogadora”. Entretanto, outros ofereceram solidariedade, que é mais dispensada aos jogadores do masculino quando se lesionam e vem a público pedir apoio, sendo respaldados de forma imediata pelos fãs dos clubes em geral.

Veja abaixo como as reações sobre a lesão da zagueira demonstraram empatia de alguns e críticas de outros tantos, devido a uma discussão sobre um caso de assédio identificado pelo próprio clube.