Marcellus Madureira-Valinor Conteúdo
15/12/2021
23:38
Belo Horizonte

Ele não aceita o título de maior treinador do Atlético. Questionado se superou Telê Santana, técnico que fez história com o Galo ao vencer o Brasileirão de 71, Cuca disse que está satisfeito em ser o segundo ou terceiro nome entre os grandes "professores" que o clube já teve. Porém, não tem jeito: o comandante cravou seu nome.

>>> Ano mágico! Com título da Copa do Brasil, Atlético-MG chega aos R$ 145 milhões em premiação

Atlético x Juventude - Cuca
Em 2021, Cuca levou o Galo aos títulos do Mineirão, do Brasileirão e da Copa do Brasil (Foto: Gilson Junio/W9 Press/LANCEPRESS!)


A história de amor entre Galo e Cuca iniciou em 2011. E o primeiro romance foi para lá de estranho: um início com sete derrotas consecutivas na luta do Atlético contra o rebaixamento. O treinador superou todos os seus problemas e, com uma rodada de antecedência, livrou a equipe da queda.

Entretanto, quando tudo era um mar de rosas, com o Galo livre do rebaixamento, apareceu um capítulo de terror nessa história: a derrota por 6 a 1 para o Cruzeiro. Além de um simples resultado, o insucesso na possibilidade de rebaixar o maior rival deixou um sabor amargo no fim.

Recentemente, em entrevista à Rádio 98FM, Cuca disse que aquele resultado foi fundamental para virar a chave. Segundo o técnico, a temporada seguinte só foi possível melhorar por ter sido percebido a necessidade de mudar peças no elenco.

E assim foi feito: uma reformulação de quase todo time. Além disso, com a chegada de Ronaldinho Gaúcho, no meio da temporada, o Atlético lutou na parte superior da tabela e, por pouco, conquistou o Brasileirão de 2012.

No ano seguinte, o Atlético conquistou a América. Em uma campanha que misturou a grande capacidade técnica com a raça alvinegra, o Galo foi o melhor time da Copa Libertadores. No fim de 2013 Cuca deixou o Atlético e foi trabalhar no futebol chinês.

Retorno complicado

Cuca retornou ao Atlético em 2021. No início da temporada, com a saída de Jorge Sampaoli, após um bom trabalho no Santos, o comandante chegou a Belo Horizonte para reconquistar o atleticano que ficou triste pela maneira que o comandante deixou a agremiação em 2013. Além disso, antigos problemas de Cuca na justiça fizeram com que parte da torcida fizesse julgamentos em relação ao treinador. Tudo superado.

As boas apresentações apagaram os problemas. O que Sampaoli não conseguiu fazer, Cuca, ao melhor estilo mineiro, comendo quieto, fez. Se em 2012 o título não chegou à Cidade do Galo por pouco, os números mudaram de lugar para um 2021 arrasador.

Enquanto Levir Culpi, outro técnico que está na história do Galo, brinca com o fato de ser um "burro com sorte", tema até de um livro, Cuca se orgulha um tanto de algo bem simples: nunca foi chamado de "burro" pelo torcedor atleticano.