Tardelli deve ficar no banco contra o Cruzeiro e tem chances de reestrear pelo Galo

Diego Tardelli diz que prefere atuar de forma mais solta, se movimentando no ataque do Galo-(Bruno Cantini/Atlético-MG)

Valinor Conteúdo
09/07/2020
15:26
Belo Horizonte

O Atlético-MG não poderá contar com Diego Tardelli no comando do ataque alvinegro em todos os jogos. Não é por uma lesão, ou má vontade do jogador. É apenas uma predileção dele em ser mais móvel no ataque do Galo, evitando ficar mais fixo dentro da área.

Tardelli se diz um pouco incomodado quando tem de atuar mais preso dentro a área adversária, daí a preferência de ser mais flexível. Inclusive o atacante sempre teve mais mobilidade na frente nas outras passagens pelo Galo.

-A princípio, eu estou nessa posição (de centroavante), que me incomoda um pouquinho. Todo mundo sabe que sou um jogador que não gosta de ficar parado, gosto de me movimentar bastante. Nesses três meses estou sendo essa referência, teve a chegada do Marrony agora, vamos ver. Estou me adaptando, vou fazer o máximo possível para fazer o que ele pede. Vai depender muito do diálogo entre mim e ele no dia a dia- disse.

Além de se posicionar sobre onde pode render mais, Diego Tardelli disse estar ansioso com a volta do futebol, já que jogou apenas alguns minutos este ano no clássico contra o Cruzeiro e Villa Nova, em março.

O Atlético estará em campo no dia 26 de julho e já terá pela frente um clássico contra o América-MG, pela 10ª rodada do Campeonato Mineiro.

-A gente ficou feliz. O que a gente mais quer é voltar a jogar. Essa volta nos deixou bastante feliz, a gente quer jogar. Por um lado vai ser positivo, a gente já está há três meses treinando. A gente está bastante preparado. No período que a gente ficou treinando deu para fazer muita coisa, aperfeiçoar a parte física, técnica, jogadas. Agora é chegar e ter a oportunidade de disputar os jogos que faltam do Mineiro, tentar brigar pelo título do Mineiro, que vai dar uma impressão muito boa para a gente. E, consequentemente, o Brasileiro, que é o nosso maior objetivo neste ano. Estou bastante ansioso e esperançoso por uma campanha melhor neste ano-concluiu.

Com a posição de não querer ser a referência do ataque de Tardelli, reforça o desejo o Galo em buscar um centroavante para o time. Atualmente não time conta com jogadores de lado de campo, mas nenhum homem-gol, ainda mais depois das saídas de Ricardo Oliveira e Franco Di Santo.