p

Paulo Victor voltou ao futebol brasileiro após passagem oelo Famalicão, de Portugal-(Divulgação)

Valinor Conteúdo
16/08/2020
12:21
Belo Horizonte

O Atlético-MG  está perto de fechar  a contratação do jovem meia Paulo Victor, de 19 anos, que estava atuando no futebol português, pelo Famalicão. A informação do acerto encaminhado do meio de campo para o Galo foi confirmada pelo agente do atleta, Anderson Nassrala, que esteve envolvido na negociação da vinda de Sampaoli para o Galo. 

Paulo Victor se juntará ao time sub-20 do alvinegro, mas será cedido ao profissional em caso de necessidade, ficando no radar da comissão técnica de Jorge Sampaoli, que tem observado vários atletas das categorias de base do clube mineiro. Ele diz que tem o sonho de jogar no Atlético, pois sua família é toda atleticana. 

-Vir para o Atlético é a realização de um sonho, pois todos na minha casa torcem pelo clube. Logo, estou fazendo o que gosto, no tim que gosto-disse o meia, que deverá assinar contrato com o alvinegro até o fim de 2021.

A jornada de Paulo no futebol começou no América-MG, aos nove anos de idade, seguindo depois para a AMDH, de Betim, disputando campeonatos de base até chegar no Atlético-GO, em 2017. Ele saiu direto dos times de formação para jogar na Europa, voltando agora para o futebol brasileiro.

Pouco conhecido no Brasil, mas com experiências dentro e fora do país, Paulo se define como um meia técnico, que também busca o gol quando tem oportunidade.

-As minhas principais características são o passe, a visão de jogo, muito técnico e o drible quando preciso. Gosto também de pisar na área e fazer gols. Treino bastante e consigo ter uma boa finalização de fora da área- se definiu.

Vida na Europa e pandemia do coronavírus

-A experiência(Na Europa) muito boa como profissional e como pessoa, pois pude aprender bastante, evoluir adquirir experiência. Deixei a família, amigos que é o normal para chegar onde queremos é necessário abrir mão de algumas coisas. Mas sempre fui tranquilo quanto a isso.-disse, o jogador, que ainda estava em Portugal no auge da pandemia da Covid-19 no continente.

-Esse período de dificuldade pra todos, pude perceber um pouco da cultura do povo europeu. Muito civilizados, respeitosos, e otimistas para que a situação passasse o mais rápido possível. Ficar em isolamento foi um pouco estranho, pois nunca tinha passado por isso. E manter uma rotina dentro de casa é muito cansativo psicologicamente. Mas tive apoio do clube(Famalicão) e de familiares mesmo de longe. E, a minha família ficou super bem, tomando todos os cuidados-contou o meia que não vê uma volta ao Brasil como retrocesso na carreira.

- Estarei perto de quem amo e isso será muito bom. Terei forças e apoio para seguir jogando bem e buscar novas metas- disse o jovem meia que já tem objetivos traçados.

-Para esse 2020 quero voltar a jogar o mais rápido possível, me adaptar ao novo clube e poder contribuir para que termine o ano de uma forma bem produtiva e preparado paro próximo ano. Em 2021, que seja um ano abençoado, com sequências de jogos, dedicação para alcançar alguns objetivos individuais- concluiu.