Agora o departamento de futebol do Atlético-MG está completo com a chegada de Mattos

O diretor de futebol do Galo afirmou que quase fechou com Thiago Neves a pedido de Sampaoli-(Bruno Cantini/Atlético-MG)

Valinor Conteúdo
15/09/2020
13:48
Belo Horizonte

O Atlético-MG demorou, mas se pronunciou oficialmente sobre as negociações com o meia Thiago Neves, que quase foi contratado pelo clube alvinegro. O jogador, que foi um pedido do técnico jorge Sampaoli, gerou uma reação negativa imensa, criando protestos de todos os tipos por parte dos torcedores.

O diretor de futebol do Galo, Alexandre Mattos, confirmou que o negócio quase se confirmou. A repulsa pelo jogador, que tem história no rival Cruzeiro, com várias declarações de Thiago contra o Atlético, foi tão grande que as reclamações saíram das redes sociais para protestos na sede de Lourdes, com vários torcedores reclamando da quase vinda do meia.

Até pichações no terreno do estádio do atleticano, a Arena MRV, foram registrados para marcar a “posição” do torcedor pela vinda de Thiago. Mattos fez um pedido de desculpas sobre o caso.

-Nós queremos buscar o nosso sonho, que é tentar ser campeão brasileiro. Se isso incomodou, eu peço, humildemente, desculpas. Mas o assunto está encerrado. Vamos olhar para frente. Vamos buscar o nosso objetivo juntos. Não adianta, agora, ficar: Vamos fazer isso ou aquilo. Passou, acabou, não vem, o assunto está encerrado e sacramentado-disse o dirigente em entrevista à Rádio Itatiaia.

Mattos explicou que a ideia do negócio surgiu a pedido de Sampaoli após a rescisão de Thiago com o Grêmio ter sido sacramentada. Para Mattos, a vinda do meia seria uma “oportunidade de mercado” e que o acerto seria feito em “excelente” condição para o Galo. O diretor comentou que o meia queria jogar pelo time mineiro.

- O Thiago era um entendimento técnico do nosso treinador, na questão técnica, dentro daquilo que entende das características de jogo. O nosso treinador identificou uma possibilidade de momento, indicou outros nomes fora da nossa realidade momentânea e fora até da janela, que está fechada-disse, para em seguida falar do negócio de ocasião.

-O Thiago foi uma oportunidade de mercado, que enquadrava no desejo muito grande do Thiago em vir, enquadrava dentro de uma realidade financeira, com possibilidade pensando até em bonificações, de produção, dentro de um contrato até o final do campeonato, com uma possibilidade (de renovação) caso as coisas estivessem correndo bem-completou.

Thiago Neves era esperado em Belo Horizonte na manhã desta terça-feira, 15 de setembro, mas com a alta repercussão negativa entre os atleticanos, o negócio foi cancelado até por questões de segurança física do jogador e de patrimônios do clube.

- Mediante a tudo, ao nosso dia a dia, ao nosso futebol, que está muito perigoso, mediante toda uma repercussão e, principalmente, pensando na segurança de todos, nós simplesmente recuamos, agradecendo o interesse do Thiago em relação ao Atlético, porque a gente entendeu que nós temos objetivos maiores pela frente, e nós queremos paz e tranquilidade para todos os envolvidos, principalmente nossos jogadores-explicou.

Contrato não foi assinado

Alexandre Mattos esclareceu que não houve assinatura de contrato com Thiago Neves, o que poderia gerar um imbróglio jurídico para o Galo.
- Foi tudo feito da maneira como sempre é feito lá dentro, com um pedido técnico, com um lado financeiro excelente para o Atlético e, depois de avaliar todas as situações... não estava acordado, não estava assinado. Estava, sim, próximo de acontecer, mas não tinha absolutamente nada assinado do Atlético Mineiro com o Thiago-concluiu.