Serginho foi um dos mais regulares do elenco (Foto: Cleber Mendes/Lancepress!)

Serginho foi um dos mais regulares do elenco do Vasco na temporada 2015 (Foto: Cleber Mendes/Lancepress!)

LANCE!
01/01/2016
14:30
Rio de Janeiro (RJ)

São Januário não será mais a casa de Serginho. A virada de ano marcou também o fim do ciclo do jogador no Vasco. Com contrato encerrado nesta quinta-feira, ele partirá para sua nova missão na carreira com o sentimento amargo de não ter conseguido evitar o terceiro rebaixamento da história do Gigante da Colina.

- Entrei no time quando o Guiñazu se machucou. Minha entrada foi logo no Campeonato Carioca. Comecei o ano muito bem, assim como o Vasco, já vencemos o Campeonato Carioca. No decorrer do ano, as coisas não fluíram do jeito que esperávamos. Terminamos o ano mal, mas com orgulho de ter honrado a camisa do Vasco. Me entreguei ao máximo. Fico chateado por não termos conseguido deixar o Vasco na primeira divisão, que é o lugar de onde nunca deveria ter saído, pela grandeza do clube. Saio com a cabeça erguida porque sempre dei meu máximo - resumiu o volante de 29 anos, em entrevista à Rádio Tupi.

Na visão dele, por mais que a equipe tenha lutado e feito uma boa campanha no segundo turno do Brasileiro, o início ruim de campeonato foi fundamental para que a queda viesse ao final da temporada.

- É difícil detectar o erro. Mas acho que pontuamos pouco no primeiro ponto. Somente 13 pontos. Deveríamos ter pontuado mais. No segundo, fizemos coisa que equipes que vão pra Libertadores não conseguiram. Tivemos pouco descanso do Carioca para o Brasileiro. Terminou o Carioca, jogamos Copa do Brasil no meio da semana e no final de semana estreamos pelo Brasileiro. Não tivemos tempo de comemorar um título tão esperado pelo vascaíno. Se eu tiver que citar um erro, foi esse: ter pontuado pouco no primeiro turno - avaliou.

O próximo desafio da carreira de Serginho vai ser em Recife, onde defenderá as cores do Sport - sexto colocado do Brasileiro de 2015 - por dois anos. Antes de ingressar na Ilha do Retiro, porém, o volante ficará alguns dias longe do novo lar, sem deixar, é claro, de lembrar dos momentos marcantes que viveu no clube carioca.

- Sou de Minas, gosto de estar aqui com a minha família. Vou curtir minhas férias aqui, até porque passamos muito tempo longe da família. Procuro sempre, nesses momentos, estar com eles. Agradeço ao torcedor vascaíno pela ajuda e o apoio que me deram. O jogo contra o Santos ficou marcado pra mim: muita chuva, tudo alagado, e a torcida compareceu. Vocês foram o décimo segundo jogador do time - enfatizou.