icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
19/06/2014
14:20

O Botafogo significou uma grande retomada na carreira de Pablo Zeballos. Depois de uma passagem apagada no Krylya Sovetov (RUS) e um empréstimo ao Emelec (EQU), onde não brilhou, o paraguaio chegou ao Rio de Janeiro, em fevereiro, sob grande expectativa e não decepcionou. Quando veio para General Severiano, Zeballos estava há quatro meses sem jogar e há 17 sem fazer gols. Mas no novo clube, a situação logo mudou.

Além de se firmar como titular da equipe, o paraguaio já é um dos artilheiros do time na temporada, com cinco gols em 12 jogos. Adaptado à cidade, o jogador faz análise positiva sobre os seus primeiros meses no Brasil e afirma existirem vários fatores determinantes para a sua boa fase.

- Quando estava no Olimpia também marquei muitos gols e depois veio um período na Rússia, onde joguei em uma equipe que sempre brigava para não ser rebaixada e a motivação não era a mesma, era um clima muito frio. E agora no Botafogo fui bem recebido dentro do plantel, reencontrei um grande companheiro que é o Ferreyra com quem joguei no Olimpia e também outros estrangeiros e os brasileiros são todos boas pessoas - disse Zeballos, em entrevista coletiva, nesta quinta-feira, no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN).

Nas nove primeiras rodadas do Brasileirão, Zeballos marcou três gols, um a menos que Emerson Sheik. Os artilheiros da competição são os cruzeirenses Marcelo Moreno e Ricardo Goulart, que têm cinco gols. Confiante, Zebalos garante que pode disputar a artilharia do campeonato.

- Claro que dá para pensar nisso (na artilharia). Um atacante sempre pensa em fazer gols, esse sempre foi o meu pensamento em todas as equipes por onde passei e aqui no Botafogo não poderia ser diferente. Tenho contrato até dezembro, estou muito feliz e depois veremos o que vai ser - disse.

Desde que chegou, Zeballos sempre destacou a satisfação por poder disputar o Campeonato Brasileiro, onde, segundo ele, a competitividade é muito grande. Para o meia-atacante, essa exigência é muito positiva.

- Além da motivação, pois temos um campeonato muito competitivo onde temos sempre que dar o melhor para continuar ganhando. A exigência física também é muito grande e creio que me sinto muito bem por isso - disse Zeballos.