icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
14/07/2014
16:36

Nascido em Salvador, Bahia, Hugo Viana se transformou em um dos nomes brasileiros na categoria dos galos do Ultimate ao desenvolver sua técnica na renomada academia Champion. Berço do boxe antes de se transoformar numa fábrica de talentos também para o MMA, a equipe liderada por Luiz Dórea sofreu recentemente a "perda" de Junior Cigano, ex-campeão dos pesados que migrou para o Rio de Janeiro em busca de novos treinos na Nova União. Diante do UFC: Cerrone x Miller, que acontece nesta quarta, em Atlantic City, o baiano avalia a falta que o ex-companheiro faz diariamente na academia.

Em entrevista ao LANCE!Net, Wolverine disse respeitar a decisão de Cigano, que mesmo de longe segue representando sua academia, mas não escondeu que um nome de peso como o do catarinense faz falta na Bahia.

- Muita gente faz comentário negatvo, mas o importante é o Cigano se sentir feliz. Eu não fazia sparring com ele por conta do tamanho, mas sempre gostei muito de treinar ao lado dele. A gente sente falta dele na Champion. Sentimos saudades dele aqui. Admiro muito ele e a presença dele na academia sempre foi positiva, nos ajudava a evoluir como um todo. Sinto saudades dele e gostaria de treinar mais com ele. Cigano sempre dá muita força para a equipe toda. A Champion é uma fábrica de campeões, uma referência no Brasil e no mundo. Outros campeões estão nascendo e ele é parte disso. Sentimos falta dele, temos carinho e esperamos recebê-lo mais vezes na Champion - declarou o lutador, em conversa por telefone com o L!Net.

O atleta da divisão dos galos ainda avaliou o desafio que terá nesta quarta-feira, quando encara Aljamain Sterling, dono de um cartel invicto de nove vitórias em nove combates. Hugo acredita que a experiência de já ter passado pela situação do adversário (de lidar com um cartel invicto) pode o ajudar a alcançar sua segundo triunfo consecutivo.

- Ele é aguerrido, caminha bem pra frente, tem envergadura, gosta da luta agarrada.... Ele vem invicto, né? Vai ser um desafio bacana, vai lutar em casa. Acho que vai ser um desafio legal pra mim. Sei como é estar invicto e vou tentar utilizar a experiência que adquiri a meu favor. Procurei dar ênfase ao meu jogo. Vou chegar na luta mais duro e sólido. Podem esperar uma definição, pois vou buscar muito. Vamos dar um show - analisou.

Wolverine vem de vitória contra Junior Hernandez, em Janeiro (FOTO: Getty Images)

Confira um bate-papo com Hugo 'Wolverine' Viana
Qual a sua opinião sobre o trabalho que o Cigano está fazendo na Nova União?
Observei essas mudanças todas e minha admiração por ele continua a mesma. Comecei na academia e acompenhei o crescimento dele. Tenho o Cigano como um grande exemplo. Acredito que ele está buscando o amadurecimento da luta dele. É natural isso. Ele está passando pelo processo dele. Respeito isso. 

Desde que fez sua primeira luta no UFC, você vai fazer sua terceira luta consecutiva nos Estados Unidos. Como tem sido isso pra você?
Me sinto honrado de estar lutando muito nos Estados Unidos. Fico feliz por essas oportunidades que estão me dando. Procuro honrar da melhor maneira o possível. Essas lutas me permitem ter um intercâmbio legal. Sempre agarro com unhas e dentes para dar o melhor de mim.

Mande uma mensagemp para o público brasileiro...
Joguem sua vibração positiva, estou de braços abertos para receber essa energia. Vamos com tudo! Pode ter certeza de que será uma luta aguerrida e acaba antes do terceiro round. Não quero deixar esse resultado na mãos dos juízes de jeito nenhum. O pau vai quebrar!