icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/03/2014
19:15

Velho conhecido do Grêmio, Roger estará na casamata do rival no próximo domingo. Com história ligada ao Tricolor, o agora técnico do Juventude passou três anos dentro do clube gaúcho. Conhece tudo. Inclusive, ajudou pontualmente alguns jogadores. Como o lateral-esquerdo Wendell, que aprimorou os cruzamentos. E Werley, que ouviu orientações em posicionamento defensivo. Ambos nutrindo um carinho diferenciado pelo agora adversário.

Além do tempo como auxiliar técnico, Roger também tem história como jogador no Tricolor, com diversas conquistas. Por isso, era importante no vestiário para passar sua experiência aos elencos. Com Wendell, auxiliou na melhora na batida na bola.

- Acho eu que ele conhece a característica de todo os jogadores, pelo tempo que passou e pelo que trabalhou. Aprendi bastante com ele, por jogar na posição dele. Nos cruzamentos, cheguei com dificuldade e ele (Roger) me ajudou bastante. Me falou como a torcida do Grêmio gostava dos estilos de laterais. Que não tinha um grande lateral há muito tempo - explicou o lateral-esquerdo Wendell.

Werley projeta um afetuoso abraço no ex-auxiliar, com quem tinha conviviência diária no vestiário desde 2012. Mas não vê a presença de Roger como uma vantagem para o Juventude na partida decisiva. O "novo" Tricolor de Enderson Moreira é o motivo.

- O Roger conhece bastante todos os jogadores aqui do Grêmio. Conhece qualidades e desfeitos. Mas nossa equipe mudou muito dos anos anteriores. É nítida taticamente e fisicamente. Então, acredito que vou dar um abraço, me ajudou desde a minha chegada, procurou me orientar e é fora de série. Pela humildade e o que conquistou. Vai ser um grande treinador. Mas domingo esperamos sair vencedores - elogiou o zagueiro gremista.

O Grêmio volta a treinar na manhã deste sábado, na Arena, com portões fechados. O time deve ser o mesmo que iniciou o empate com o Newell's Old boys, na Argentina, com Dudu entre os titulares.