icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/07/2013
19:30

Na semana do clássico contra o Fluminense, o volante Wendel confirmou, em entrevista coletiva nesta terça-feira, que recebeu sondagens para deixar o Vasco e retornar à França. A saída do atleta, que jogou por seis temporadas no Bordeaux, era especulada desde junho. No entanto, nenhuma proposta chegou à diretoria cruz-maltina.

- Foram sondagens de pessoas que ligaram para o meu procurador, sabendo da minha situação aqui no Vasco. Isso mostra como o meu trabalho foi bem feito lá fora, mas em termos de conversa ninguém me passou nada. Eu continuo trabalhando, me dedicando.

Preterido na última partida do técnico Paulo Autuori, que não o colocou nem entre os reservas na derrota para o Internacional, por 5 a 3, o volante começou como titular na partida contra o Flamengo, no último domingo, atuando, inclusive, fora de sua posição original.

- Continuo fazendo parte do elenco do Vasco, mesmo com a mudança de treinador, até que alguém venha e me fale o contrário. Continuo trabalhando, mais uma vez solicitado na lateral, de forma alguma reclamando. Podendo ajudar, jamais reclamar. Então esse é o Wendel. Sempre foi e sempre será.

Wendel afirmou também que acompanhar a movimentação da diretoria nos bastidores incentiva os jogadores a terem um bom desempenho nos treinamentos e nas partidas.

- Muita gente fala que isso não atrapalha, mas eu diria que isso ajuda muito. As certidões podem sair a qualquer momento, patrocinador chegando, a chegada do Juninho. Então isso é muito bom, motiva a gente. E espero que possa continuar fora de campo e que nós, dentro de campo, possamos também acompanhar essa dedicação e esse empenho do clube. Esperamos já fazer isso diferente a partir do próximo domingo, contra o Fluminense.

Na semana do clássico contra o Fluminense, o volante Wendel confirmou, em entrevista coletiva nesta terça-feira, que recebeu sondagens para deixar o Vasco e retornar à França. A saída do atleta, que jogou por seis temporadas no Bordeaux, era especulada desde junho. No entanto, nenhuma proposta chegou à diretoria cruz-maltina.

- Foram sondagens de pessoas que ligaram para o meu procurador, sabendo da minha situação aqui no Vasco. Isso mostra como o meu trabalho foi bem feito lá fora, mas em termos de conversa ninguém me passou nada. Eu continuo trabalhando, me dedicando.

Preterido na última partida do técnico Paulo Autuori, que não o colocou nem entre os reservas na derrota para o Internacional, por 5 a 3, o volante começou como titular na partida contra o Flamengo, no último domingo, atuando, inclusive, fora de sua posição original.

- Continuo fazendo parte do elenco do Vasco, mesmo com a mudança de treinador, até que alguém venha e me fale o contrário. Continuo trabalhando, mais uma vez solicitado na lateral, de forma alguma reclamando. Podendo ajudar, jamais reclamar. Então esse é o Wendel. Sempre foi e sempre será.

Wendel afirmou também que acompanhar a movimentação da diretoria nos bastidores incentiva os jogadores a terem um bom desempenho nos treinamentos e nas partidas.

- Muita gente fala que isso não atrapalha, mas eu diria que isso ajuda muito. As certidões podem sair a qualquer momento, patrocinador chegando, a chegada do Juninho. Então isso é muito bom, motiva a gente. E espero que possa continuar fora de campo e que nós, dentro de campo, possamos também acompanhar essa dedicação e esse empenho do clube. Esperamos já fazer isso diferente a partir do próximo domingo, contra o Fluminense.