icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
01/02/2015
11:35

Na última sexta-feira, o UFC recebeu a péssima notícia de que Chris Weidman se machucou e agora está fora da disputa de cinturão dos médios marcada para o dia 28 de fevereiro, em Los Angeles (EUA), pelo UFC 184, contra Vitor Belfort. Embora esteja a um mês do evento, a organização tentou resolver o problema e ofereceu uma opção de última hora ao brasileiro: enfrentar Lyoto Machida pelo cinturão interino da divisão. Oferta negada.

Durante coletiva de imprensa pós-UFC 183, o presidente do UFC Dana White revelou que ofereceu o combate a Vitor, mas o carioca se recusou a encarar o carateca no dia 28 de fevereiro. Ele prefere esperar por Weidman.

- Vitor, (o problema) é o Vitor. Ele é o desafiante número um. Então Weidman se machucou, mas é típico do Vitor. Ele estava me pertubando no telefone dizendo que queria o cinturão interino. Falei com ele... Aí liguei para o Lyoto (Machida) e disse o acordo. A primeira coisa que ele falou foi que mandasse o contrato para ele assinar. Quando liguei para o Vitor, ele disse: "Vamos esperar pelo Weidman". Ele decidiu não lutar com Machida. Sempre digo: "Aproveite toda oportunidade que puder". Agora sabe-se lá quando Weidman vai voltar. Não estou dizendo que é definitivo (ele sair do UFC 184), Vamos dar outra opção a ele - declarou o mandatário.

O dirigente ainda detalhou a lesão que tirou o atual campeão dos médios, Chris Weidman, do confronto contra Belfort. Segundo ele, Vitor errou ao depositar confiança no breve retorno do americano.

- Acho que ele não quebrou a costela, o problema é na cartilagem, é uma coisa muito dolorosa. Não acho que foi algo quebrado e tal. Infelizmente no esporte não se pode lidar com tudo perfeito. Não se sabe como as coisas vão acontecer, sempre digo isso - avaliou o americano.

Enquanto não há uma definição, o UFC 184 agora tem a disputa de cinturão dos galos feminino entre Ronda Rousey e Cat Zingano no combate principal.