icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/03/2014
14:31

O clima entre Wanderlei Silva e Chael Sonnen está cada vez mais tenso durante os capítulos do The Ultimate Fighter Brasil 3. Antes do combate que acontece no dia 31 de maio, em São Paulo, no Ginásio do Ibirapuera, os rivais têm se provocado o quanto podem. Por incrível que pareça, sobrou até para Vitor Belfort nessa confusão. Em vídeo divulgado no site oficial do Ultimate, Wand fala sobre o duelo contra o falastrão americano, promete "quebrar o nariz dele" e até relembra o episódio em que Vitor se machucou antes da revanche contra o Cachorro Louco no TUF Brasil 1, ainda no ano de 2012.

Ao ser questionado sobre a expectativa para o confronto, Wanderlei disse que espera que não aconteça com Sonnen o mesmo que aconteceu com Belfort, antes do duelo entre os técnicos do primeiro TUF Brasil.

- Só espero que ele também não quebre a mão, pois a diva quebrou a mão, né? Tomara que ele não quebre a mão... Mas esse (Sonnen) aí, não. Ele não é amarelão. No dia esse vai estar lá. Me imagino quebrando o nariz dele no início do combate, encolhendo ele na grade e batendo por cima de um jeito violentíssimo. Do jeito que o pessoal quer - disparou o Cachorro Louco, que lutou pela última vez em março do ano passado, quando nocauteou Brian Stann, no UFC Japão.

Wanderlei Silva ainda analisou o episódio onde se recusou a continuar as gravações do TUF Brasil sem que o adversário pedisse desculpas ao povo brasileiro pelas ofensas declaradas. 

- Dei a oportunidade para ele se redimir pelo que falou de mal do nosso país. Não pelo que ele falou de mim ou com relação a nenhum outro atleta. Mas fazer piadinhas com as coisas ruins do nosso país, com crianças de rua, nos deixa realmente chateados. Estava disposto a não gravar o programa, parar de fazer por alguns dias até que ele pedisse desculpas. Mas vou fazer ele pedir desculpas no dia do nosso combate. Sei que represento toda uma nação, represento o meu país. Isso faz com que eu treine mais - explicou.

Sobre as polêmicas na casa, Chael ressaltou sua atitude de vir ao Brasil enfrentar toda a hostilidade existente e criticou a postura de Wanderlei. O americano ainda afirmou que certas coisas não aconteceriam nos Estados Unidos.

- Vim ao território inimigo. E também vim por que quis. Estou sozinho. Sou eu contra... Trinta milhões? Isso é bobo. Na América, isso jamais aconteceria com ele. Wanderlei sabe, ele vive na América (Estados Unidos) e foi bem-vindo - analisou.