icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/11/2014
16:53

Walter Torre, dono da construtora WTorre, responsável por reformar o estádio do Palmeiras, não concorda com Paulo Nobre, presidente do clube, no que diz respeito a clássicos com uma única torcida. Nobre defende a atitude, enquanto Walter Torre é contra e até diz sonhar com o Allianz Parque dividido ao meio.

- Meu sonho é de ter uma arena que seja metade de uma torcida e metade de outra. É assim que eu vejo o futebol. Tomara que dê certo - disse Walter Torre, segundo o site da ESPN, em debate no Clube Monte Líbano.

No mesmo debate, o vice-presidente do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, também foi contra a proibição de visitantes:

- Os torcedores organizados merecem respeito. Vocês viram como foi na Copa do Mundo? Tivemos algum problema? Não. Sabe por quê? Porque as polícias estavam integradas. Uma coisa que terá de ser trabalhada no pós Copa é aquela beleza de ver as torcidas todas misturadas. Bandeiras diferentes sendo apresentadas lado a lado, sem brigas, como era no Brasil há 40 anos. Só que aqui a gente proíbe tudo: proíbe bandeira, proíbe sentar junto, proíbe tudo. É uma coisa que tem que começar na gestão dos clubes - defendeu.

No domingo, em entrevista à TV Gazeta, Paulo Nobre explicou sua preferência por clássicos apenas com a torcida do time mandante:

- Defendo jogo de uma torcida só. Quando dão 5% à torcida visitante em clássicos, vão os torcedores que são mais assíduos, mas que eventualmente acabam entrando em confusão. É um risco ao próprio torcedor e um gasto muito grande até com a segurança. Quando você cede dois mil ingressos, perde muito mais que dois mil. Com torcida única, atendemos mais torcedores, ganhamos mais dinheiro e, de maneira indireta, evitamos que pessoas se machuquem ou até morram - disse o presidente do Palmeiras.

Por questões de segurança como as citadas por ele, a Polícia Militar diminuiu em 4 mil assentos a capacidade do Allianz Parque, como forma de isolar totalmente as torcidas adversárias.