icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
23/02/2015
08:00

A derrota do Atlético-MG para o América-MG foi construída depois que o visitante abriu o placar e contava com um atleta a mais em campo. Mesmo em vantagem numérica, devido à expulsão do lateral-direito Patrick, os comandados de Levir Culpi deixaram com que a equipe de Givanildo Oliveira obtivesse a virada no duelo disputado no estádio Independência.

Um dos líderes alvinegros em campo, Victor demonstrou chateação com a apresentação de seus companheiros. O goleiro acredita que o time se expôs de 'forma desnecessária' no compromisso enquanto esteve vencendo.

– A gente bobeou, mesmo com um a mais, não conseguiu tocar a bola, acabou se expondo de forma desnecessária quando o resultado era favorável. Acabamos pecando demais e saímos com a derrota – afirmou.

A opinião do camisa 1 foi compartilhada pelo zagueiro Edcarlos. O experiente defensor justificou a derrota pela postura do Atlético. Ele destacou os erros ao ceder contragolpes para o time mandante.

– Excedemos na vontade e na correria. Quando o jogo se abriu para a gente, com um homem a mais, achamos que poderíamos matar o jogo. Demos contra-ataques para eles, de uma maneira excessiva, mas futebol é isso. A bola pune também. Temos que ouvir mais – declarou.

– Faltou (maturidade). O nervosismo e a vontade de ganhar fizeram com que nos abríssemos muito. Eles saíram no contra-ataque e fizeram. É o primeiro jogo deste time, tivemos vontade e garra, mas faltou tranquilidade para rodar a bola, controlar o jogo, fazer o que o professor nos pediu. Mas é levantar a cabeça, temos um jogo difícil na quarta-feira e precisamos de uma vitória na Libertadores – acrescentou.