icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
13/02/2015
19:48

Sérgio Luiz Janikian. O nome ainda é pouco conhecido dentro do futebol, mas, em pouco tempo, ganhará espaço entre os jornalistas esportivos e os torcedores do Corinthians. Oficializado nesta sexta-feira como novo diretor de futebol do Timão, o economista e empresário do ramo de material escolar, de 46 anos, vive um momento especial: ser um dos responsáveis por administrar o clube do coração.

- Sou corintiano desde que nasci, é uma paixão que vem de dentro. Qual torcedor corintiano não queria ter o prazer de trabalhar pelo clube? Sou um privilegiado, sou um abençoado. Estou preparado para ser amado em um dia, e odiado no outro. E, claro, estou preparado para perder a minha privacidade. Mas já adianto: o meu maior patrimônio é a credibilidade. Eu amo o Corinthians, sou viciado no Corinthians, isso já é 90% do caminho para realizar um bom trabalho - declarou Janikian, ao LANCE!Net.

- Hoje é um dos dias mais felizes da minha vida (nomeação como diretor de futebol). Foi uma escolha do Roberto (de Andrade, novo presidente), que é meu amigo. Ele me surpreendou quando me convidou para assumir o cargo, fiquei muito emocionado com o convite. Tenho me envolvido diretamente com o clube nos últimos três anos. Vou me dedicar ao máximo para fazer um bom trabalho. Nunca trabalhei com futebol, é verdade, mas, com muita dedicação, vou encontrar as melhores decisões - completou.

Apesar de ter sido anunciado nesta sexta-feira, Janikian começará a trabalhar efetivamente apenas na quarta-feira, data do confronto do Corinthians com o São Paulo, na Arena Corinthians, pela Copa Libertadores. Mas o novo dirigente alvinegro não ficará parado até lá. Enquanto o dia tão sonhado não chega, ele estudará tudo o que puder sobre a administração do futebol e, claro, do Timão.

- Eu já me escondi num hotel fora de São Paulo, vou estudar, colher informações e chegar preparado para trabalhar. Minha estreia como dirigente vai ser na quarta-feira, em casa, contra o São Paulo. Vou para o CT, vou me integrar com todo mundo e depois vou para o estádio. Me considero um pé-quente. Pelos meus cálculos, vi muito mais vitórias do que derrotas. E digo mais: nunca vi in loco o Corinthians perder uma final - brincou.

Sérgio Janikian ainda é novo no cargo, mas sabe que já será pressionado para, por exemplo, renovar o contrato de Guerrero.

- Guerero, renova ou não renova? Vou procurar saber de tudo antes de falar qualquer coisa. Mas já posso adiantar: vamos fazer o possível, dentro da realidade, para conseguir a permanência dele. Precisamos ter responsabilidade com o caixa do Corinthians - finalizou.